MON recebe 3 mil obras de coleção asiática para seu acervo

18

 

O Museu Oscar Niemeyer (MON) abre hoje (2) ao público a primeira exposição da coleção de cerca de três mil obras de arte asiática doada pelo diplomata e colecionador Fausto Godoy que resumem séculos de história das civilizações do continente.

Parte do acervo do MASP até 2015, a coleção foi iniciada um ano após Godoy ser convidado a assumir um posto na embaixada do Brasil em Nova Délhi, em 1983. Desde então, ele ocupou cargos oficiais nas embaixadas de Nova Délhi, Pequim, Tóquio e Islamabad, além de ter cumprido missões transitórias no Vietnã e em Taiwan. Todo esse percurso ajudou a construir um acervo de valor inestimável e agora coloca o MON como o museu da América do Sul a ter uma das coleções asiáticas mais significativas do Brasil e da América do Sul.

 

Com essa doação, Godoy pretende ensinar aos brasileiros como o antigo convive com o contemporâneo nessas culturas, que não enxergam a arte compartimentada como no Ocidente. “Na Ásia não há uma distinção entre finearts e artes aplicadas. Eles vêem o mundo como um todo. Uma roupa é tão importante quanto um quadro. Por isso a coleção tem de tudo. De peças de 3.000 A.C. até uma estátua de Ganesh de 2010”, diz ele. Seu empenho é “criar massa crítica no Brasil para o continente que se afigura como o mais importante do século XXI”. Assim, não se trata apenas de doar uma coleção construída nas últimas três décadas, mas de estabelecer o marco zero de um futuro centro de estudos asiáticos.

A exposição aberta hoje abarca 300 peças desde um Narasimha, quarto avatar do deus Vishnu – primeiro objeto adquirido pelo diplomata num antiquário de Nova Délhi, em 1984 – até mangás japoneses, passando por gravuras Ukiyo-e do século XIX, peças de mobiliário, objetos de porcelana chinesa e até um Buda do século VI em tamanho natural. Sem paralelo igual nos principais museus do ocidente e de forte conteúdo simbólico, as obras representam o cotidiano arcaico ou contemporâneo das civilizações asiáticas. China, Japão, Índia, Laos, Butão, Irã, Afeganistão e Vietnã são alguns dos países de origem das peças.

Arte asiática no MON (Foto: Divulgação)

 

O curador do Museu Oscar Niemeyer, Agnaldo Farias, explica que a atual “A inha curatorial adotada pelo MON visa dar à cidade de Curitiba um museu digno de sua importância. Para tanto, a necessária expansão de seu acervo está orientada, em primeiro lugar à arte paranaense e à arte brasileira, em segundo lugar à arte latino-americana, de parentesco próximo à nossa, e, por fim, à arte de outros dois continentes, como África e Ásia”.

Serviço

Exposição “Ásia: a terra, os homens, os deuses” | Museu Oscar Niemeyer
Dia 02 de março de 2018, a partir das 10h – Sala 5
Visitação: terça a domingo, das 10h às 18h
Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)

Dias e horários especiais:
Toda quarta gratuita com programação especial: 10h às 18h
Primeira quinta do mês: horário estendido até as 20h e gratuito após as 18h
Programação especial todos os domingos

Rua Marechal Hermes, 999. Curitiba – PR | (41) 3350-4400
museuoscarniemeyer.org.br
Facebook e twitter: monmuseu
Instragram: museuoscarniemeyer

Fonte Oficial: GQ.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários