Barbie inspirada em Frida Kahlo é criticada por herdeira da pintora – R7 Meu Estilo – R7

8


O que era pra ser uma homenagem de Dia das Mulheres, se transformou numa verdadeira dor de cabeça para a fabricante de brinquedos Mattel.


A linha de bonecas em homenagem a grandes figuras históricas que lutaram em prol do feminismo tem causado polêmica desde que foi anunciada, no início de março.


Com 17 opções, que vão desde jogadoras de futebol a pilotos de avião, a coleção Mulheres Inspiradoras se destacou principalmente pela presença da figura que retratava a pintora mexicana Frida Kahlo.


Ativista política de esquerda, ela foi uma figura que teve sua história marcada por lutar contra o imperialismo norte-americano.


Por conta dessa relação ideológica, muitas pessoas e até uma herdeira de Frida acusaram a Mattel de querer lucrar em cima do legado dela. Mara Romeo, que detém os direitos de Frida, se pronunciou sobre a tia avó por meio de nota oficial e entrevista à AFP, e também lamentou a aparência da boneca.


— Gostaria que ela tivesse mais traços como os da Frida, não essa boneca com olhos claros.


Já a ativista e professora Taylisi Leite comentou no Facebook sobre o lançamento e disse que houve apropriação de uma figura importante visando o lucro.


— É uma estética que vende e, ao final, não rompe nem contesta nada. O auge foi esse lançamento da Mattel. Barbie Frida, galera… Isso porque o capitalismo se apropria de tudo para gerar valor.


A família da pintora também diz que não autorizou a produção da boneca. A Mattel se justificou apenas a respeito da alegação feita pela família da artista mexicana.


— A Mattel trabalhou em parceria com a Frida Kahlo Corporation, a dona de todos os direitos relacionados com o nome e identidade da Frida Kahlo, na criação desta boneca. Temos a sua permissão e um acordo legal para fazer uma boneca à imagem da grande Frida Kahlo.

Fonte Oficial: R7.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários