A D-Aura é a marca que você precisa conhecer (e usar) agora – GQ

8

D-Aura (Foto: Junior Sousa)

Nada era impulso em Lucas Menezes quando começou a fazer experimentos na moda, em 2016. Tudo era caso pensado – uma constante para o paulista criador da D-Aura. Arquiteto por formação, ele traduziu em roupas seu DNA urbano e criativo, influenciado em grande parte por sua formação anterior, em arquitetura e urbanismo. O resultado foi encontro das paixões aparece, refletido nas construções inusitadas e no uso criativo da área em suas modelagens.

Essa leitura quase matemática de suas peças e inspirações vêm de um lado questionador de Lucas. Cadeia produtiva, tecidos, formas… tudo passa pelo olhar criterioso do diretor criativo, em sua busca por decifrar o novo e quebrar barreiras impostas pela sociedade no geral.

“Hoje acreditamos que nossas posturas e condutas caminham cada vez mais a fim de reforçar esses pontos. Trabalhamos diariamente para que nossa linguagem se torne cada vez mais sólida e cada vez mais se fortifique junto de nossos clientes e lojas parceiras”, conta o diretor criativo.


D-Aura (Foto: Roberta Braga)

O maior empecilho ainda é entender como equilibrar suas percepções criativas com algo comercial que possa ser vendido. Uma grande meta da marca sempre foi entender como esse trabalho autoral criava seu campo dentro de lojas. Até que descobriram as concept stores – loja que vende uma seleção cuidadosamente selecionada e exclusiva de produtos que se conectam a um tema abrangente. “O crescimento dessas lojas abre caminhos para que marcas como as nossa cheguem a clientes finais que compreendem todos os processos que envolvem a construção do nosso vestuário. Desde a defesa da escolha de materiais responsáveis, Mao de obra valorizada e incentivo de um consumo que visa antes a qualidade do produto do que a sazonalidade que ainda se faz muito presente no mundo da moda”.

+ Conheça a Anacê, marca genderless que preza a estética nacional
Conheça a Merus, nova marca genderless nacional

Outro fator são clientes que entendam e valorizem produtos que são refletem totalmente o contrário de uma fast-fashion e as mudanças quanto aos rótulos. Hoje muito se fala de peças agênero e a D-Aura é parte dessa “comunidade” de novos criadores que não diferem masculino de feminino, tão quanto se somente são esses os devidos rótulos e se realmente deve-se rotular qualquer coisa. Em suas apresentações na Casa de Criadores – semana de moda paulistana que visa mostrar o trabalho de novas marcas – existe diversidade e inclusão. Homens e mulheres cis, homens e mulheres trans, negros, brancos, pes-so-as.


Urias (Foto: Agência Foto Site)

Hoje, depois de três anos de marca, está tudo mais claro na cabeça de Lucas. Evolução que fez com que todo o seu processo realçasse a ideia de que a indústria está passando por mudanças radicais que envolvem o assunto do momento: sustentabilidade. Em sua nova linha, intitulada Urban Essentials, malhas e moletom provenientes da reciclagem de fibras de algodão e poliéster resultaram em peças fáceis e funcionais que surgem para reinventar formas óbvias de clássicos de um guarda roupa dos moradores e frequentadores das grandes metrópoles.


Campanha da linha Urban Essentials (Foto: Divulgação)

A cartela branca, preta e cinza; proporções intrigantes; vontade de fazer diferente e, o mais importante, de realmente fazer, permitem que a D-Aura esteja na mira do que vem a ser o nosso futuro: marcas preocupadas, inteligentes e que não negam o amor de expressar a sua arte. Well done, Lucas!

Acompanha tudo de GQ? Agora você pode ler as edições e matérias exclusivas no Globo Mais,o app com conteúdo para todos os momentos do seu dia. Baixe agora!

Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários