“A Mariko é uma feminista”, diz Jacqueline Sato sobre ‘Orgulho e Paixão’ – GQ

17

Jacqueline Sato vive a médica Mariko em Orgulho e Paixão, a novela das seis da TV Globo. Ambientada da década de 1910, a trama mostra todas as dificuldades de uma mulher e imigrante numa profissão majoritariamente masculina. Um século depois, a sociedade evoluiu, mas ainda apresenta resquícios de desigualdade.

“O fato dela ser esta mulher que supera “proibições” e preconceitos foi uma das características que mais me chamou a atenção na personagem. Certamente a Mariko é feminista“, conta Jacqueline em entrevista à GQ. “É muito bom poder fazer uma personagem que dá voz a questões tão importantes”, complementou.

De acordo com a atriz, Mariko apresenta uma oportunidade para que as mulheres reflitam sobre as conquistas e os problemas que ainda precisam ser superados pela igualdade de gênero. “Ser feminista, pra mim, no passado ou hoje, é entre muitas outras coisas, defender direitos e oportunidades iguais. Então, sim, sempre fui, sou e serei feminista”, reflete Sato.

Jacqueline Sato (Foto: Pupin&Deleu)

Para as lentes da dupla Pupin&Deleu, a atriz posou para um ensaio exclusivo, todo em preto e branco. Sobre trabalhos mais sensuais, Sato não os vê com maus olhos, desde que uma regra seja respeitada desde a concepção do projeto ao dia de fotos: ser sexy ou não é uma decisão de cada mulher.

“Sensualidade é muitas vezes algo relativo e discutível, que depende do olhar de cada um. O querer ou não expor a sensualidade depende de cada uma. E se for uma escolha legítima, tudo bem”, diz a atriz. “Empoderamento é tomar as rédeas da própria vida e poder ser o que quiser, e quando quiser”, finaliza, de maneira bem didática.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários