A nova flagship da Bottega Veneta em Tóquio é uma obra de arte geométrica – GQ

5

Pensanso em visitar o Japão a tempo para as Olimpíadas? Então vale conhecer a nova loja da Bottega Veneta no país, que vai abrir no sábado (8) em Tóquio. A loja é plataforma para comprar e/ou admirar uma gama de roupas femininas e masculinas, bolsas, pequenos artigos de couro, malas, óculos, sapatos, fragrâncias, joias, além das coleções de móveis e itens de decoração da linha Home. Mas o espaço a ser instalado no endereço 5-6-1 Ginza Chuo-Ku também é um interessante exemplo de arquitetura, que junta novo e velho de forma coesa.

O prédio parece ter saído de um projeto no Minecraft, é bem verdade, mas sua maior inspiração está no intrecciato, o método de entrelaçar couro que é sinônimo da marca e que é aplicado a peças da maison desde os anos 60. Da mesma década vem outra referência, desta vez para o interior do imóvel: o movimento californiano Light and Space, que exploravam o uso conceitual de formas geométricas e de luz para criar um ambiente.

+ Veja esta casa de 1924 ser transformada em uma morada eficiente e sustentável
+ Guto Requena, o brasileiro que já faz hoje a arquitetura do futuro

Dá para ter uma ideia do lugar na galeria abaixo:

Os artigos de couro e sapatos masculinos estarão situados no piso inferior. O andar térreo contará com artigos de couro e óculos femininos. No segundo andar haverá um salão de sapatos femininos e um espaço dedicado para as preciosas bolsas femininas e os serviços de personalização. O terceiro andar contará com roupas femininas e mais sapatos, enquanto no quarto andar estarão as roupas masculinas. O quinto andar será reservado para experiências privadas de compras.

Bottega Veneta (Foto: Divulgação)

A nova flagship da Bottega Veneta é a maior loja da marca na Ásia: são 800 metros quadrados de área comercial. Em dimensões, no entanto, ainda não supera o casarão que a Bottega abriu em Nova York em fevereiro.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários