Alexandre Birman, o vencedor do prêmio Moda Nacional no MOTY 2018 – GQ

5

Alexandre Birman resume: “Quem ama o que faz nunca sente que está trabalhando”. A frase, que ele usa como lema, ajuda a entender o empresário que está no comando do grupo Arezzo&Co, fundado por seu pai, Anderson Birman, há 46 anos.”Nunca pensei em fazer algo diferente da minha vida. Com 12 anos já estava na fábrica e sabia que aquele seria meu destino.”

CEO e CCO da companhia, acionista, conselheiro além de triatleta nas horas vagas, Alexandre vive on para o business, literalmente, a qualquer hora. “Uma empresa de capital aberto exige muito de um CEO; uma empresa que planeja expansão internacional precisa de um designer”, define. No caso, ele veste ambos os chapéus. Sem estrelismo, sabe dividir criatividade e gestão estratégica. Da história de um sapato ao encontro com o investidor de algum fundo, o papo flui da mesma maneira. Claro, objetivo, obstinado e exigente, o empresário de 42 anos aprendeu a formar e capacitar times extremamente competentes no que fazem. A nova sede do grupo em São Paulo, inaugurada este ano, reflete o espírito e o bom momento do grupo liderado por ele.

+ “Tudo é branding”, diz Alexandre Birman, o homem de R$ 1,5 bilhão
+ Alexandre Birman ensina como competir no Ironman e curtir o Rock in Rio no mesmo dia

Autonomia com responsabilidade, além de um planejamento extremo ajudam a entender a consolidação do sucesso da Arezzo&Co que se tornou uma plataforma de marcas – são seis no total (Arezzo, Schutz, Alexandre Birman, Anacapri,  Fiever  e Ownme) – top of mind em seus segmentos. Com atenção forte para a expansão internacional, principalmente no mercado norte-americano, em 2018 abriu novas lojas em Nova York e Miami, o que ajudou a consolidar esse bom momento mesmo em meio à crise. Em 2019, mais seis lojas nos Estados Unidos um novo showroom da Schutz em Milão, além de um investimento massivo no digital, darão continuidade aos planos do grupo.

Os números ajudam a entender um pouco a dimensão do que estamos falando: ao todo, são 12 milhões de produtos vendidos por ano nas 630 lojas que ficam entre o Brasil e USA, 2.500 colaboradores diretos e sedes em São Paulo e Campo Bom, no Rio Grande do Sul. Além destas duas cidades, Alexandre também inclui Nova York nessa rota que faz parte de sua rotina de trabalho. Ideal para esse executivo que gosta de viver sob pressão e para quem resolver problemas é parte natural do jogo. Os resultados estando aí para provar tudo isso. E que venham os próximos desafios.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários