Apple quer ajudar pais a controlarem o tempo que filhos passam em seus devices – GQ

11

Depois de anos trabalhando para tornar o seus gadgets indispensáveis (pra não dizer viciantes), a Apple anunciou na última segunda-feira (11) que em breve fornecerá um aplicativo projetado para ajudar as pessoas a se afastarem deles. O novo recurso, chamado Screen Time, permitirá que os pais monitorem a quantidade de tempo que seus filhos passam em aplicativos específicos e definam limites para o uso de iPhones e iPads. Quiçá é uma ajuda e tanto para o desenvolvimento dos pequenos, já que a luz de gadgets pode atrapalhar a rotina noturna deles.

O Screen Time oferecerá relatórios diários e semanais de atividades que revelam a quantidade de tempo gasto em aplicativos individuais, além da frequência com que um dispositivo é acionado. O recurso deverá ser incluído no iOS12, que deverá ser lançado ainda este ano.

“Os aplicativos nos pedem para usar nosso telefone quando deveríamos estar fazendo outra coisa”, disse Craig Federighi, vice-presidente sênior de engenharia de software da empresa, na Worldwide Developer Conference da Apple, em San Jose, na Califórnia (EUA). “Alguns de nós não sabemos o quão distraídos nos tornamos”, acrescentou.

No início deste ano, dois grandes acionistas da Apple pediram que a empresa fizesse mais para ajudar os pais a evitar que seus filhos se tornassem viciados em dispositivos digitais, de acordo com a rádio pública norte-americana NPR. Juntos, o fundo de pensão dos professores da Califórnia e o grupo de investimento Jana Partners possuem mais de US $ 2 bilhões em ações da Apple, e pediram ao conselho de administração da marca da maça que fornecesse aos pais ferramentas e funções para controle do tempo gasto com os devices.

Enquanto a função não chega, dá para tomar algumas medidas para limitar a exposição de seu filho às telinhas.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários