Arturo Muselli, ator de ‘Gomorra’, apresenta novas peças da Emporio Armani – GQ

10

Elogio à elegância: Arturo Muselli usa Emporio Armani outono/inverno 2019/2020 (Foto: Lucas Possiede)

Arturo Muselli rouba a cena na quarta temporada de Gomorra, a série da Sky com roteiro inspirado no best-seller homônimo do jornalista investigativo Roberto Saviano (que vendeu mais de 10 milhões de exemplares no mundo) e recria os passos e as disputas de poder da Camorra, a temida máfia napolitana. O ator, diretor e fotógrafo que fez seu début nas telonas em As Consequências do Amor (2004), de Paolo Sorrentino, e nos palcos em O Urso (2002), de Anton Chekhov (sob a direção de Maria Benoni), vive Enzo Blueblood, o jovem gangster que tenta assumir o controle do centro de Nápoles.

+ Frances Tiafoe mostra como combinar cores vibrantes no sportswear
+ Seleção italiana passará a usar Armani em seus uniformes ‘formais’
+ Florais, cores suaves, alfaiataria e romantismo são as novas normas da moda masculina

Napolitano de nascimento, ele transita no universo ficcional – a mesma obra que deu origem à série também baseou a película Gomorra, de Matteo Garrone, de 2008 – de sua cidade-natal que é a locação para as atrocidades cometidas pelas famiglias e reconstituídas na TV. “Sou uma pessoa que vive Nápoles em todos os seus aspectos. Conheço bem a realidade e sei parcialmente o que os livros descrevem. Isso me ajudou a trazer algo verdadeiro. Ao mesmo tempo, consegui manter uma distância saudável e não ficar chocado com certas situações contadas”, reconhece.


Elogio à elegância: “A Armani foi o meu primeiro amor. sempre amei suas curvas, seus tecidos e suas cores” (Foto: Lucas Possiede)

Na pele de um líder de gangue, papel que catapultou carreiras de astros como Robert De Niro em O Poderoso Chefão, de Francis Ford Coppola, este italiano de 36 anos conta que orienta sua performance na dramaturgia do inglês William Shakespeare. “Ele escreveu sobre todos os sentimentos da alma humana. Por isso, toda vez que me preparo para um trabalho, penso em suas peças. Dessa forma, consigo acessar sensações universais que me ajudam a ser compreendido por todos e não apenas pelo público napolitano”, adianta sobre seu processo de trabalho e comenta que não tem medo de ficar marcado por um tipo. “Também não tenho receio de não ser reconhecido como o ator de Gomorra”, avisa.

Considerado o novo rosto das telas italianas, revela que esse título não influencia sua carreira e nem mesmo suas escolhas. “Não tomo esse rótulo como garantia porque as coisas podem mudar. Há horas em que se trabalha muito e noutras não. É por isso que guardo ideias que podem ser desenvolvidas quando propostas interessantes não estão vindo”, comenta o agitador cultural, que admite reverenciar astros de Hollywood da década de 50, como James Dean. “Com seu casaco preto ou a jaqueta e camiseta branca de Juventude Transviada (longa de 1955 dirigido por Nicholas Ray), conseguiu restaurar a elegância e a rebeldia ao mesmo tempo.”


Elogio à elegância (Foto: Lucas Possiede)

Ao falar sobre o estilo do ícone norte-americano, Muselli nos dá pistas sobre a importância do vestuário para ilustrar uma cena (e marcar uma época). “De fato, a construção de um personagem também se realiza através do figurino que ajuda a contar sobre a psicologia e sobre sua extração social. Cada detalhe mostra algo a mais. A moda representa a história dos tempos e das pessoas. Meu figurino em Gomorra e a barba, o corte de cabelo e as tatuagens me transformaram em algo totalmente diferente de mim”, confirma o artista que, fora dos sets, persegue uma atmosfera elegante. “Gosto de roupas que relembram velhos tempos. Mas o que sempre faço é usar um chapéu. Amo”, conta ele que tem uma companhia de teatro com a diretora Ludovica Rambelli, a The Hats Company, a qual leva o nome de seu acessório favorito e encena Shakespeare (no idioma original) com toques de commedia dell’arte (gênero de teatro popular cômico).


Elogio à elegância (Foto: Lucas Possiede)

Encarnar o lifestyle de um dândi contemporâneo em um shooting especial para a GQ Brasil ocorrido no Emporio Armani Caffè & Ristorante, em Milão, é outro desafio assumido por Arturo – eleito como um dos homens mais bem vestidos pela GQ Itália  em 2018. “A Armani foi o meu primeiro amor. Sempre amei suas linhas suaves, seus tecidos e suas cores. A grife também me acompanhou em alguns dos momentos mais importantes da minha vida. No dia da minha formatura da faculdade, por exemplo, eu usei um terno Armani”, recorda ao vestir as novas apostas da label – casacos com volume, calças fluidas com punho e blazers narrow-shouldered – que criam a silhueta natural da coleção de outono/inverno 2019/2020.

Edição de moda Gabriel Feriani | Grooming Erisson Musella | Assistente de Fotografia Felipe Cordeiro

Acompanha tudo de GQ? Agora você pode ler as edições e matérias exclusivas no Globo Mais,o app com conteúdo para todos os momentos do seu dia. Baixe agora!

Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários