BR Marinas mostra como transformar um cartão-postal em espaço democrático de lazer – GQ

12

Mar aberto: “Hoje o empresário tem a obrigação de pensar no entorno de seu negócio” (Foto: divulgação)

Marina não é garagem de barcos, guardá-los é apenas uma de suas funções. Essa é a filosofia da empresária Gabriela Lobato, comandante a bordo da líder do mercado latino-americano BR Marinas, fundada por seu pai, Antonio Carlos Lobato. “Meu pai é apaixonado pelo mar. Lembro-me que fizemos várias viagens para a França, Itália e Estados Unidos em busca de referências. O sonho dele, vinte e poucos anos atrás, era ter estruturas náuticas de qualidade no país, o que hoje virou realidade”, conta.

+ Sol, mar e suor? Elimine o último item da lista do verão investindo em bons antitranspirantes
+ Ilhas Virgens Britânicas têm mais novo pico de kitesurfe
+ Agora você pode adquirir o único barco com motor Ferrari do mundo

Com sete marinas ao longo do litoral fluminense – Búzios, Itacuruçá (Mangaratiba), Verolme, Piratas, Bracuhy e Ribeira – as quatro na região de Angra dos Reis – e o cartão-postal da cidade do Rio de Janeiro, Marina da Glória, que você vê na foto, a BR Marinas tem no total capacidade para 2200 embarcações e pretende terminar o ano de 2019 com faturamento de R$ 82 milhões e um plano ambicioso de expansão pelos sete mil quilômetros da costa brasileira.

No verão de 2020, inaugura mais uma marina em Paraty – com 61 vagas molhadas e heliponto. A partir daí, a ideia é “ir subindo” para os outros estados. O objetivo? Se tornar a maior empresa do setor nas Américas.

Mas não é preciso obrigatoriamente ter um barco para aproveitar a estrutura náutica das marinas do grupo. Cursos de vela, mergulho e profissionalizantes náuticos, grupos de canoa havaiana e aluguéis de barcos são algumas das ofertas à disposição para um mergulho na vida marinha. “Temos até curso de gestão corporativa no mar com a medalhista olímpica de vela Isabel Swan”, comemora Gabriela.

É na Marina da Glória que a experiência de um espaço náutico urbano se torna ainda mais completa. Depois das obras de revitalização para a Rio 2016, com investimento de R$ 70 milhões, os serviços e opções de lazer só vêm crescendo. A área do entorno, batizada Esplanada Verde, é integrada ao Parque do Flamengo com ciclovia, mirante e árvores nativas. No Promenade, restaurantes oferecem boa gastronomia com vista de cair o queixo: o argentino Corrientes 348, o italiano Bota, o brasileiro contemporâneo Urukum e o japonês Soho.

Para que continue crescendo, preservação do meio ambiente e planejamento navegam lado a lado. Lixo seletivo, captação e dessalinização da água, geração de energia solar e educação das comunidades adjacentes são algumas das iniciativas. “Hoje o empresário tem a obrigação de pensar no entorno de seu negócio”, diz Gabriela, pronta para explorar novos mares.

Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários