Britânico que perdeu fortuna de quase R$ 2,5 bi coloca chatêau mais caro do Reino Unido à venda – Notas – Glamurama

9

Kevin Cash e o chatêau que ele está vendendo || Créditos: Getty Images

O empresário do setor imobiliário Kevin Cash é conhecido no Reino Unido por ter se tornado milionário bem jovem. Nascido em Birmingham, ele conquistou as altas rodas de Londres e chegou a figurar nas listas das pessoas mais ricas do país com uma fortuna estimada em £ 500 milhões (R$ 2,47 bilhões), mas por causa de uma série de investimentos ruis e dívidas que acumulou com o fisco britânico acabou perdendo quase tudo. Tanto que agora está se desfazendo de parte dos bens que ainda lhe restam para pagar os credores.

Um desses bens é uma vila histórica que ele comprou em Oxford, e que acaba de colocar à venda por £ 28 milhões (R$ 138,6 milhões) – o maior valor entre todas as propriedades residenciais listadas nos classificados da terra da rainha Elizabeth II atualmente. Conhecida como North Aston Hall, o lugar conta com 30 quartos, inclusive uma suíte master com mais de 230 metros quadrados, adega construída no século 8, complexo de lazer com piscina e quadra de tênis e jardins que se estendem por uma área de mais de 785 mil metros quadrados. Cash viveu lá por um bom tempo com a mulher, a ex-modelo Carla La Reservee, que já foi apontada como a mais sexy da África do Sul.

Desde 2014 ele enfrenta problemas com a justiça, e chegou a ser condenado por fraude em fevereiro por uma corte britânica. As dívidas dele incluem, entre outras coisas, £ 40 milhões na praça e outros £ 13 milhões em impostos não pagos. Caso venda a North Aston Hall, o dinheiro do negócio deverá ser usado para quitar algumas dessas pendengas, assim como o de uma townhouse £ 10 milhões que ele tem na região da Regent Street, na capital britânica, e que também está no mercado.

No caso do château de Oxford, trata-se de uma oportunidade única pra quem gosta de história e tem recursos sobrando: que o construiu no fim dos anos 1700 foi o renomado arquiteto John Yenn, membro da Academia Real de Artes do Reino Unido. Tombado como patrimônio histórico da Inglaterra, foi reformado em 1867 e sofreu pouquíssimas alterações desde então, no máximo para torná-lo mais confortável aos donos, e é um dos poucos entre as mansões e os castelos de lá que sobreviveram ao declínio da aristocracia ao longo do século 20 para continuar sendo um lar doce lar de luxo. (Por Anderson Antunes)

Vista aérea da propriedade histórica de Oxford || Créditos: Getty Images

Fonte oficial: Glamurama

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários