Celular dobrável da Samsung volta às lojas após problemas técnicos – GQ

13

Samsung Galaxy Fold (Foto: Getty Images)

Lembra-se do Fold? Desenvolvido pela Samsung, o smartphone seria a ponta de lança dos celulares dobráveis, telas maleáveis que, a grosso modo, são smart e tablet em um único pacote. O que garantia sua posição de destaque era o ímpeto da fabricante coreana em chegar primeiro: o lançamento era originalmente previsto para abril, muito antes de qualquer outra fabricante conseguir colocar sua alternativa no mercado.

+ Os celulares vão ficar mais estranhos em 2019
+ Apple deve apostar em choque de design para a linha 2020 de iPhones
+ O Google também está interessado em telas dobráveis

Corta para agora e a Samsung, depois de enfrentar uma onda de feedbacks negativos pré-lançamento, anuncia que o Galaxy Fold chega de fato no próximo dia 27 nos EUA. É a maior prova de fogo do device após lançamentos pontuais na Coreia do Sul e Reino Unido. E é para valer. Só tem um porém: não espere um lançamento de ordem mundial nem nada. Lá fora, o celular será comercializado apenas em algumas lojas da rede Best Buy e pontos de venda da AT&T, assim como atráves do marketplace Samsung Experience. Nos Estados Unidos, o Fold vai sair por US$1.980 (R$ 8.261).

Qual a treta? Quando a mídia teve acesso a modelos de testes do Galaxy Fold mais para o começo do ano, problemas não demoraram a surgir: a tela era protegida com o que parecia ser uma película descartável, mas que era fundamental para o funcionamento do celular. E espaços entre cada metade da tela e o pivô central deixavam entrar pequenos grãos de sujeira dentro do smart, perfeitamente capazes de ferrar com sua tela sensível. Muitos deles adotaram defeitos de hardware em questão de dias.


Pequenas peças plásticas acima e abaixo da tela protege o interior da tela (Foto: PA Images via Getty Images)

De volta ao mercado, boa parte das mudanças aparecem mesmo na coluna central, que desta vez é ‘vedada’ nas laterais e munida de duas peças plásticas na parte de dentro das extremidades superiores e inferiores que impedem a entrada de sujeira. A película protetora desta vez embrulha a tela toda e se esconde por debaixo das arestas – impossível confundí-la agora com uma capinha plástica. Riscar a tela ainda é bem fácil, dizem alguns especialistas.

Os problemas do Galaxy Fold foram menos traumáticos que, digamos, a bateria explosiva do Note 7. A príncipio de conversa, ninguém saiu ferido – e nem foi necessário um recall bilionário. Mas é esperar para ver se o pior já passou para a tecnologia, que hoje em dia não está exatamente vencendo os corações dos consumidores. No mesmo mês do lançamento, a firma de pesquisas Gartner projetou que, até 2023, os foldables representarão apenas 5% das vendas de smartphones, se mantendo firmes como produtos de nicho.

Acompanha tudo de GQ? Agora você pode ler as edições e matérias exclusivas no Globo Mais,o app com conteúdo para todos os momentos do seu dia. Baixe agora!

Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários