Chanel escolhe o Metropolitan Museum de NY para apresentar a nova coleção Métiers d’Art – Moda – Glamurama

9

Chanel apresentará seu próximo desfile no Metropolitan, em Nova York || Créditos: Getty Images/Divulgação

Depois de levar seus desfiles para spots como Havana, Hamburgo e Roma, a Chanel elegeu Nova York como palco da apresentação da coleção Métiers d’Art 2018. O desfile acontece no dia 04 de dezembro no Metropolitan Museum of Art, locação considerada perfeita, já que o museu é de extrema importância para este mercado e ostenta um espaço com mais de 35 mil costumes e acessórios representando os cinco continentes e sete séculos de moda. Além disso, Anna Wintour é a todo-poderosa da área dedicada ao mundo fashion de lá. Que tal?

Essa não é a primeira vez que a maison francesa se apresenta em Manhattan: em 2005 realizou o desfile em sua loja na Quinta Avenida e, em 2007, na Grand Central Station. No ano seguinte fez uma retrospectiva em pleno Central Park, dentro de uma casa temporária criada pela arquiteta Zaha Hadid.

O retorno da marca para Nova York está totalmente ligado à história de Coco Chanel. Foi na cidade que ela começou a vender suas criações para as socialites americanas quando visitou os Estados Unidos pela primeira vez, em 1931, e ganhou uma recepção no Hotel Pierre. Os convidados poderosos se tornaram clientes e vendedores de suas roupas. O lugar também é queridinho da marca. Em 2005 recebeu a mostra “Chanel”, retrospectiva com criações de sua fundadora e de Karl Lagerfeld, diretor criativo desde 1983. Em 2016, o estilista co-presidiu o Met Gala que celebrou a exposição “Manus X Machina”, em que os vestidos de alta costura da maison foram destaques da exposição.

Lembrando que o último desfile de moda apresentado em uma das galerias do museu foi em 1982, quando Valentino trouxe sua linha de outono – mais um motivo para aguardarmos ansiosos o que Karl Lagerfeld está preparando!

Fonte oficial: Glamurama

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários