Como ensinar os filhos a se comportarem em público (de um jeito legal) – GQ

6

O comportamento das crianças em público depende de sua personalidade e empatia com as pessoas que acabou de conhecer. Uma criança mais extrovertida terá mais facilidade na socialização com o próximo, já as mais introspectivas, precisarão, talvez, de mais tempo para se sentirem confiantes para interagir. E ver a maneira como os pais conversam e agem nesses momentos é só um meio de ajudar nesse processo.

“A maneira de se relacionar esta muito conectada com a personalidade da criança, mas, estimulá-la desde pequena a sociabilizar, seja em família ou com amigos, bem como, enquanto pais, apresentam-se sociáveis e acolhedores, pode ser um bom estimulo”, sugere a psicóloga Aline Melo, do Grupo São Cristóvão Saúde. “A possibilidade de participação da criança em esportes coletivos, ou qualquer outra atividade que fomente a interação com a turma, também é uma forma de ajudar nessa questão”, completa.

E quando os pequenos resolvem fazer aquela birra vergonhosa na frente de todo mundo, fazendo os pais ficarem pistola? É importante perceber como a criança está se sentindo naquele momento para identificarmos como ela pode reagir.

“Se, por exemplo, a criança já apresenta-se cansada e não deseja acompanhar os pais em determinado passeio, há uma propensão maior para aqueles ‘chiliques’. É uma das formas que ela encontra para externalizar seu stress e irritabilidade, mobilizando a atenção dos pais e de quem está de fora”, explica a psicóloga. “Conversar com a criança antes é sempre uma boa forma de evitar algumas situações constrangedoras, como em lojas de brinquedos, parques e outros locais”, acrescenta.

Segundo a especialista, trabalhar com a criança sua sociabilidade dá mais recursos para a mesma compreender maneiras de se comportar em público. “Conversar com a criança antes é uma possibilidade. Preparar a situação, pontuando que no lugar que irão, provavelmente, ela verá vários tipos de estímulos (alimentos, brinquedos e afins), mas que os pais não tem condições no momento de comprar ou ela não precisa, já é uma forma de lidar com o problema.”

Agora se o comportamento está ocorrendo em uma festa ou em locais públicos, o ideal é não se estressar. Conversar com a criança e deixar claro que não é através de um mau comportamento que ela obterá o que deseja é o caminho. “Tentar compreender o motivo pelo qual seu filho está reagindo desta maneira também é uma forma de direciona-lo de modo mais acolhedor”, finaliza a psicóloga.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários