Como o Instagram decide o que você vê – e quando você vê – GQ

19

O algoritmo do Instagram considera três fatores centrais quando decide a ordem de posts que vão aparecer no seu feed, segundo relatam jornalistas que estiveram em evento da companhia em São Francisco nesta segunda-feira (04).

Estes três itens são: interesse, atualidade e relacionamento. São bem auto-explicativos: o interesse é a maneira que o algortimo prevê o que você vai curtir, usando machine learning para formar tendências sobre seus hábitos no Instagram. Atualidade tem a ver com quando o conteúdo a ser jogado no seu feed foi originalmente publicado: quanto mais recente, melhor sua “posição”. Relacionamento, por fim, é o entendimento de que amigos mais são próximos seus, através de coisas como número de likes em posts e stories, menções e comentários.

Além desses três, outros três fatores são levados em consideração: frequência (quantas vezes em um dado intervalo você abre o aplicativo), número de seguidos e usabilidade (quanto tempo você passa em uma sessão no Instagram). Estes comunicam que posts mais recentes você não teve chance de ver, garantem que você não vai ser atropleado por todos os posts de suas centenas de contatinhos e comunicam se você está passando pouco tempo vendo só o que você quer ou fica rolando a página para matar um tempinho.

Quando você abre o Instagram e vê ali no topo da página um monte de posts de uma ou duas semanas atrás, a explicação talvez esteja na relação entre esses itens. Talvez tratam-se de pessoas que o algoritmo considera importantes para você, mesmo que eles não postem com tanta frequência. Ou faz tempo que você abre o app, e alguém postou algo que ele imagina ser imperdível no que toca seus hábitos. 

A companhia também confirmou que não pretende voltar atrás e reestabelecer o feed organizado por ordem de publicação. E por um motivo claro: no velho formato, usuários viam em média 50% a 30% do que seus amigos postavam. Hoje esse número subiu para 90%, segundo a empresa. Mais conteúdo que você vê pode significar mais engajamento com a rede, e ó por aí que redes sociais como o Instagram são capazes de vender publicidade e monetizar a parada toda.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários