Conheça a Korshi 01, marca de peças modulares que vai estrear no SPFW – GQ

16

“Uma jovem aquariana, independente e cheia de personalidade”. É assim que o jovem Pedro Korshi define a sua marca, Korshi 01 – que é uma das representantes do streetwear na edição 46 do São Paulo Fashion Week. Mas, vai ver, essa definição também sirva para o próprio criador, que prefere rolês ao ar livre e é da geração cultural. Troca com facilidade a noitada por um museu. E isso na flor da idade, como ele mesmo diz, “23 aninhos”.

Apesar de sua ligação com moda existir desde 2011 com a criação de um blog, Pedro é praticamente autoditada nesse quesito. “Finalizei o curso fundamental na Inglaterra e não cheguei a cursar moda e nem nada relacionado. Estou aprendendo ainda”, conta o diretor criativo – que inaugurou sua marca no início de 2018, após ficar entre os 20 designers finalistas do projeto Lab, da Casa de Criadores, no final de 2016. Atualmente mora na capital de São Paulo, terra onde tudo acontece. Ou, aparentemente, nem tudo. Mudanças contínuas de temperatura, locomoção insuficiente e outras situações cotidianas acarretam um processo criativo mais assertivo e consciente à Pedro. “A Korshi 01 usa a moda e o design contemporâneo para sugerir para as pessoas maneiras criativas de explorar possibilidades em prol de um futuro consciente. Tudo que existe pode ser utilizado para mais funções”. Visão de um jovem da Geração Z que, cada vez mais, utiliza do poder da comunicação para criar soluções contínuas para situações diárias. E a moda configura parte dessas soluções, claro.

Korshi 01 (Foto: Divulgação)

Tudo para o designer deve ter uma função. “O processo de criação dessas peças desenrola com objetivo de solucionar ‘problemas’. As ideias surgem a partir da evolução de outras ideias quando busco dar função às roupas.” A partir disso, todas as criações da Korshi 01 se transformam em, pelo menos, mais uma peça além daquela orginalmente pensada – pernas de calças se tornam mangas para um capuz (que pode ser comprado individualmente), que acabam se tornando um short, ou um trench coat que vira outras seis peças: colete, jaqueta, avental aberto, avental utilitário fechado, jardineira e jardineira utilitária.  É quase um armário completo em apenas duas peças. E isso faz da marca, sobretudo, sustentável. “O fato de fazermos peças versáteis e funcionais faz com que a marca diminua o impacto ambiental. Usamos menos tecidos e, logicamente, menos água para produção do mesmo, menos materiais e, ainda assim, muito mais função no guarda-roupa”, conta. E não para por aí. “O objetivo agora é focar em materiais ecológicos como tecidos reutilizados e tingimento sustentável”.

Ainda que sua marca seja muito nova, o palco do primeiro desfile é de dar orgulho. A Korshi 01 está entre as marcas participantes do Projeto Estufa – plataforma que visa conectar iniciativas e movimentos dedicados a pensar e criar o futuro que queremos – da edição 46 do SPFW. E Pedro já adianta sobre o que veremos por lá. “Dentro do nosso movimento de incentivar pessoas em seu potencial criativo, a coleção será um apelo a um futuro consciente.” Para o futuro, a linha segue a mesma com questionamentos válidos. “Será que, de fato, precisamos de um objeto para cada função? Que precisamos de um produto de beleza para cada área do rosto? Será que precisamos de um utensílio de cozinha para cada finalidade? A meta é minimizar a produção e pensar em possibilidades.” Avante ao futuro, Korshi.

O streetwear utilitário é o ponto forte dessa marca
O streetwear da Piet entra para o line up da SPFW

Korshi 01 (Foto: Divulgação)
Korshi 01 (Foto: Divulgação)

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários