Conheça a Linus e o Projeto Vihe, novas marcas nacionais sustentáveis – GQ

16

Linus (Foto: Divulgação)

A verdade é que, se você tem ou pretende criar uma marca de moda, esse é o momento de ver e rever todos os conceitos socioambientais. Agir de forma sustentável já não é algo questionável. Isso, é claro, se quiser adequar-se ao mercado que, segundo o Ministério do Trabalho (2016), representa 12,3% de participação no PIB brasileiro. Cerca de um mês atrás, grandes marcas como Prada, Chanel e Hermès assinaram o Fashion Pact – um acordo para reduzir os impactos ambientais causados pela indústria, com o foco em três áreas: clima, biodiversidade e oceanos. Ao todo, são 32 empresas globais de moda e têxtil envolvidas. A Prada, inclusive, comprometeu-se a banir o nylon de suas coleções até 2021. Um passo importante para a label italiana, que também anunciou recentemente o fim do uso de pele animal. As iniciativas não param por aí: finalizando a mais recente Semana de Moda de Milão, ocorreu o Green Carpet Fashion Awards, o “Oscar da moda sustentável”, que premiou diversos nomes da indústria por suas trajetórias conscientes. No Brasil também já existem diversas marcas eco-friendly. Como principais referências podemos citar a Osklen, junto a seu projeto ASAP, e a Vert. Mas ainda é muito importante que novos nomes apareçam e mostrem que é possível ser fashion e responsável ao mesmo tempo. Nesse sentido, a Linus e o Projeto Vihe são dois nomes que apostam firme no atual momento da moda. Aqui, mostramos o porquê.

+ 5 marcas de moda sustentáveis para você conhecer
+ Especial meio ambiente: as iniciativas e marcas sustentáveis para ficar de olho

Linus


Linus (Foto: Divulgação)

Em apenas um ano de existência, a marca de sandálias fundada em 2018 afirmou-se como alternativa ao consumo tradicional. Usando matérias-primas sustentáveis, ela busca levar senso de responsabilidade em relação ao impacto do consumo no mundo. Feitas de um PVC ecológico expandido, as peças são 100% recicláveis, livres de metais pesados, com plastificantes de origem totalmente vegetal. Ao todo, as peças somam 70% de fontes renováveis em sua composição. Em seis diferentes cores (chumbo, musgo, tijolo, mostarda, areia ou marinho), todos os produtos possuem certificação dos selos EuReciclo e PETA vegan approved e você pode comprá-los aqui.

Projeto Vihe


Projeto Vihe (Foto: Divulgação)

Sem muitos rótulos, o foco é criar itens atemporais e descomplicados. Partindo do conceito colaborativo, o projeto une empresas e marcas líderes em seu segmento, apresentando materiais que possuam viés sustentável. Uma parceria com a empresa Vicunha proporcionou utilizar tecidos ecológicos, que visam a economia de água em sua fabricação, e o acabamento ficou por conta da Eberle, líder na produção de botões e rebites e possui um forte compromisso ambiental.


Projeto Vihe (Foto: Divulgação)

A malharia institucional é apresentada em 100% algodão cru, sem qualquer tipo de
tingimento, contribuindo na economia de água e sem lançar resíduos tóxicos na natureza.
“Na medida em que consumimos produtos mais duráveis e atemporais, não precisamos consumir tanto”, comenta Henrique Bittencort, estilista por trás do projeto. “Hoje ainda é muito difícil fazer um produto 100% sustentável, mas o desafio foi chegar o mais perto disso”, completa.

As peças da Vihe estão à venda em uma pop-up dentro do Cartel 011, em São Paulo.

Acompanha tudo de GQ? Agora você pode ler as edições e matérias exclusivas no Globo Mais,o app com conteúdo para todos os momentos do seu dia. Baixe agora!

Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários