Daniel Biron, o chef vegano que conquistou a gastronomia carioca – GQ

8

Daniel Biron virou vegetariano aos 14. “Minhas referências foram as temáticas zen e esotérica e a yoga. E com música da Enya tocando”, brinca. Cansado de locais “natureba” e de serviços de buffet ou quilo, o chef foi matutando um conceito de restaurante que fosse moderno, sexy, de ambiente agradável e na moda – e que não servisse carne nem derivados, lógico.

Voltando um pouco, o giro na vida de Biron aconteceu em 2010 quando ele se mudou para Nova York para fazer um curso de formação de chefs na escola Natural Gourmet Institute, referência da culinária vegetariana. “Estagiei no Candle Cafe e Candle 79 e no Rouge Tomate. Em 2012, fui para Paris assumir a cozinha do Gentle Gourmet Café e, em 2014, voltei para o Brasil. Em 2016 abri o Teva”, conta o chef, empresário e designer.

+ Você sabia que nem todos os vinhos e cervejas são veganos? Entenda porquê e escolha de forma consciente
+ Gabriel Klabin está colocando o Rio no mapa dos drones

O Teva, em Ipanema (e prestes a abrir também em São Paulo), é fruto dessa coleção de viagens, experiências, estética e design, resultando em uma culinária na qual os vegetais são as estrelas. “É o bar de vegetais mais simpático e aconchegante do Rio”, completa ele, que vê o veganismo como “um estilo de vida que contempla outras espécies de forma ética e que resgata o respeito pelo planeta e por todos que nele habitam”.

Stylist: José Camarano; Produção de moda: Yuri Horsth e Agatha Barbosa; Beleza: Piu Gontijo; Assistente de fotografia: Christophe Nonato; Produção executiva: Octavio Duarte.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários