Descoberto o primeiro novo Rembrandt em 44 anos – GQ

2

O já rico corpo de trabalho do pintor holandês Rembrandt ganhou uma adição nesta semana. O comerciante de artes Jan Six – conterrâneo do artista – confirmou a existência de uma pintura inédita. Entitulada (em tradução livre) “Retrato de um Jovem Cavalheiro”, é a primeira obra do artista a ser descoberta desde 1974.

Como é de se esperar, essa notícia  traz toda uma história. Afinal, não é como se Jan tivesse esbarrado por acidente num quadro assinado claramente por Rembrandt ou tenha sido surpreendido durante o sono por uma obra de valor considerável jogada na sua cama. Esse tipo de descoberta tende a ser dificultosa. 

A peça em questão foi descoberta por Jan Six em um leilão em Londres em 2016. À época, o quadro já havia passado quase quatro séculos sem ser notado. Não facilitou o trabalho o fato deste ser o primeiro quadro descoberto de Rembrandt que não conta com qualquer outro registro anterior. Ninguém sabia que a parada sequer existia.

O novo Rembrandt é instalado no Hermitage (Foto: Reprodução/Instagram)

O que chamou a atenção de Jan, segundo a Reuters, foi o colarinho do personagem da pintura, um modelo que esteve em uso apenas por volta de 1633 e que, no quadro, é desenhada em pinceladas similares às de Rembrandt.

Do palpite bem informado – afinal o colecionador cresceu em uma casa forrada de obras holandesas clássicas – até a oficialização da descoberta, foram 18 meses de testes de raio-x e análises de amostras. Jan contou ainda com o apoio de uma dúzia de especialistas na obra do holandês.

Segundo especialistas, o quadro foi concluído por volta de 1634, quando Rembrandt tinha 28 anos, e pode ter sido parte de uma pintura maior.

Seguindo o anúncio esta semana, o quadro fica em exposição por um mês no Hermitage museum em Amsterdã. Jan, que arrematou o quadro por 137 mil libras (R$ 681 mil) em 2016, planeja encontrar um comprador, mas o valor da obra ainda está para ser definida.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários