Dior Homme prova que a elegância está de volta – GQ

6

Foi numa esteira de 72 metros que uma alfaiataria tão impecável quanto o show num todo foi apresentada em Paris. Kim Jones chegou para mostrar uma Dior que estávamos aguardando ansiosamente. Não que Van Assche não tenha brilhado, mas Mr. Jones sabe exatamente o ponto que deve tocar nos homens contemporâneos. Foi uma atualização sublime de seus últimos desfiles na marca em Paris e Tóquio, ambas ocorrendo em torno de mastros de escultura de KAWS e Hajime Sorayama, respectivamente. A suavidade da estreia de Kim Jones frente à marca, desta vez, foi substituída na coleção de inverno 2019 por um militarismo imponente e digno de desejo instantâneo. Calças enfiadas em polainas, braços embainhados em manoplas de couro, torsos protegidos na frente e nas costas por estofamento. Chegou a ser difícil escolher os favoritos.

Dior  (Foto: Divulgação)

A pegada artística também faz parte do viés que o designer anda trazendo à label francesa. O artista da vez foi Raymond Pettibon, que começou sua carreira com gráficos referenciando a cena punk do sul da Califórnia no início dos anos 80, o que resultou em uma retrospectiva no New Museum em Nova York, em 2017. O desfile foi encerrado com uma jaqueta bordada com uma peça de Pettibon intitulada “Refazer o Renascimento”. Não fique em choque ao saber que tal peça precisou de 15 pessoas e 1.600 horas para ser feita. Uau!

Quem é o grafiteiro que conquistou Kim Jones e é a nova cara da Dior
Exposição vai mergulhar nas 7 décadas de estilo da Dior

Nada surpreendente para o universo luxuoso da casa Dior, uma das mais tradicionais da França. Existe uma lenda que diz que uma jaqueta de alta costura é tão bonita que podia ser invertida e usada de dentro para fora. Jones mostrou peças que ocasionaram exatamente esse sentimento. Além disso, a técnica de moulage, aplicada diretamente sobre o corpo para criar faixas de tecido que envolviam sensualmente os paletós feitos sob medida e derramados casualmente para um lado em um efeito de faixa, brilharam os olhos dos espectadores. O significado de luxo pode estar em mutação mas, o homem Dior, está assegurado em quem ele é.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários