“É normal que um artista seja múltiplo”, diz Leandro Lima – GQ

16

Leandro Lima (Foto: Paulo Reis / Grooming: Liége Wisniewski / Edição de moda: Fernanda Ary / Assistente de Moda: Ingrid Oliveira / Assistente de Grooming: Camila Leite / Suéter de lã: Ermenegildo Zegna Óculos: Tom Ford para Marcolin )

Leandro Lima tem no histórico uma carreira internacional como modelo, trabalhos como apresentador da TV aberta brasileira, um papel central na trama de uma série de sucesso da Netflix, Coisa Mais Linda, e ainda planeja se assumir como cantor e lançar um disco em 2020. Pode parecer muita função para uma pessoa só, mas o paraibano acredita que um artista pode ser tudo isso, naturalmente.

+ Lista GQ: 6 homens transformadores revelam suas ideias para mudar o mundo
+ “A beleza vem do autoconhecimento”, diz Mariana Molina
+ “Eu tenho muita coisa para melhorar como ator”, diz Hugo Moura

“Já fiz e tenho feito bastante coisa diferente, mas tudo ligado à arte e ao entretenimento. Aqui, no Brasil, existe sempre uma separação, mas em outros países é normal que um artista seja múltiplo”, disse ele em entrevista à GQ. Além de dominar diferentes campos da arte, ele também tem uma facilidade muito grande com idiomas, tendo trabalhado recentemente numa novela mexicana.


Leandro Lima (Foto: Paulo Reis / Grooming: Liége Wisniewski / Edição de moda: Fernanda Ary / Assistente de Moda: Ingrid Oliveira / Assistente de Grooming: Camila Leite / Calça alfaiataria e Suéter de lã: Ermenegildo Zegna / Óculos: Tom Ford para Marcolin / Sandálias: Bircke)

“Foi uma surpresa porque eu falava um espanhol muito básico. Não acreditava pudesse trabalhar nessa língua. Mas aí meu agente chegou e disse: “Paraíba, tu fala italiano bem, inglês bem. Estudando, você consegue fazer em espanhol”. Fiquei apreensivo, mas fiz o teste e deu super certo”, conta o ator.


Leandro Lima (Foto: Paulo Reis / Grooming: Liége Wisniewski / Edição de moda: Fernanda Ary / Assistente de Moda: Ingrid Oliveira / Assistente de Grooming: Camila Leite / Camiseta: Kenon Bucca no Espaço 1491/ Costume: Brechó Minha Avó Tinha / Sandálias: Birckenstock )

Confira o papo na íntegra:

GQ: Leandro, como você avalia a primeira temporada de Coisa Mais Linda? Você consideraria o seu trabalho mais importante até aqui?

A série está sendo um sucesso, tanto de crítica quanto de público. É surpreendente ser reconhecido em outros países. Em junho, estava em Nova York num café e umas meninas me reconheceram, mesmo de dreads e com barba mais longa. Elas eram austríacas. Quando estava gravando no México, muitas pessoas vieram me chamando de Chico. Foi engraçado. Considero todos os trabalhos importantes para minha formação como ator, porém, pela projeção, com certeza, Coisa Mais Linda está na frente.


Leandro Lima (Foto: Paulo Reis / Grooming: Liége Wisniewski / Edição de moda: Fernanda Ary / Assistente de Moda: Ingrid Oliveira / Assistente de Grooming: Camila Leite / Costume de linho: Calvin Klein na Cartel 011 / Blusa: Brunello Cucinelli)

GQ: Você também teve uma participação em La Doña, novela do canal hispânico Telemundo. Foi o seu primeiro papel em espanhol?

Sim, foi. E foi uma surpresa porque eu falava um espanhol muito básico. Não acreditava pudesse trabalhar nessa língua. Mas aí meu agente, Mauro Lemos, chegou e disse: “Paraíba, tu fala italiano bem, inglês bem. Estudando, você consegue fazer em espanhol”. Fiquei apreensivo, mas fiz o teste e deu super certo. Tive que estudar cinco vezes mais os textos, mas rolou. Adorei o período que estive lá gravando. O personagem é muito importante na série. Um anti herói romântico. Estou feliz com a estreia nos Estados Unidos, onde existe um público latino enorme.

GQ: As duas obras foram vistas por pessoas de diferentes países. A sua carreira internacional está em primeiro plano na sua carreira?

A carreira internacional está no meu radar há muito tempo. Tenho facilidade com línguas e acho que preciso explorar isso. Estou vivendo o presente, considerando projetos que estão aparecendo aqui, mas com um olhar lá na frente.


Leandro Lima (Foto: Paulo Reis / Grooming: Liége Wisniewski / Edição de moda: Fernanda Ary / Assistente de Moda: Ingrid Oliveira / Assistente de Grooming: Camila Leite / Suéter de lã: Ermenegildo Zegna / Calça de linho: Kenon Bucca no Espaço 1491 / Trench coat: Lacoste / Óc)

GQ: Você também apresentou o Dancing Brasil, na TV Record. Depois de ser modelo, ator e apresentador, tem algum ofício que ainda falta fazer?

Já fiz e tenho feito bastante coisa diferente, mas tudo ligado à arte e ao entretenimento. Aqui, no Brasil, existe sempre uma separação, mas em outros países é normal que um artista seja múltiplo. Adorei fazer um programa ao vivo, que deu muito certo. Trabalhar com Xuxa foi uma escola incrível. Como profissional e pessoa, ela realmente merece tudo o que conquistou. Não descarto a possibilidade de voltar a apresentar um programa .

GQ: Quais são seus próximos trabalhos? Em entrevista à GQ no início do ano, você falou do seu sonho em trabalhar em Hollywood. A vontade continua de pé?

Estou num momento de avaliação de projetos que estão surgindo para 2020.  Tudo já deve se definir em breve. Algo que tenho projetado para 2020 é fechar o ano com uma produção em italiano, minha segunda língua. Enquanto isso, entre minhas gravações do Coisa Mais Linda, tenho trabalhado no roteiro de um longa e, como cantor, num disco que pretendo lançar em 2020.

Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários