Emilia Clarke conta como Game of Thrones a ajudou a sobreviver a dois aneurismas – GQ

4

Emilia Clarke revelou em março deste ano ter sofrido duas hemorragias cerebrais após a estreia de Game of Thrones (em 2011). “Tive a maior dor de cabeça que um ser humano é capaz de suportar”, recordou. Durante os aneurismas, a atriz contou que, para manter a mente ativa, tentava relembrar diálogos já decorados da série – já que não lembrava sequer seu nome de batismo [que é Emilia Isobel Euphemia Rose Clark].

+ Famosa marca americana lança jaqueta de R$10 mil inspirada em Game of Thrones

Em entrevista a Stephen Colbert, a artista confessou: “Na hora, sabia que estava sofrendo algum tipo de lesão cerebral. Então tentei ficar o mais ativa possível. Movia meus dedos da mão, do pé e me fazia algumas perguntas. Tentei deixar minha mente funcionando para me manter consciente”. Na época diagnosticada com hemorragia subaracnoidea (HSA), um acidente vascular cerebral que é considerado letal, ela passou por duas cirurgias e, logo após, desenvolveu crises de ansiedade e ataques de pânico que quase a fizeram desistir da carreira aos 24 anos. A britânica criou um projeto para auxiliar na reabilitação de pessoas que sofrem lesões cerebrais, o Same You. “Existe uma necessidade urgente de aumentar as provisões para a imediata recuperação de jovens adultos depois que saem do hospital”, postou em suas mídias sociais.

+ Indicamos mais alguns atores para o Game of Thrones brasileiro

+ Veja o trailer da última temporada de Game of Thrones

É assim que a música de Game of Thrones soa em um Nintendo Labo

 

Ainda no Late Show, a Daenerys Targaryen da ficção comentou do final aguardado da série – que estreia dia 14 de abril. Clarke revelou o destino dos personagens a apenas a uma pessoa: “Para minha mãe. Porque ela consegue guardar este segredo”. Depois de ler o roteiro final, Emilia admitiu: “Não consegui lidar. Então saí para caminhar. Foi como se estivesse em uma crise existencial”.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários