‘Essa coisa de ser uma mulher bem resolvida é meio careta’, diz Alessandra Negrini – GQ

34

É com um elenco de peso e carregado no humor que o diretor Luís Pinheiro apresenta Mulheres Alteradas, que estreia nesta semana nos cinemas do Brasil. O filme, no entanto, não fala sobre mulheres bem resolvidas, mas sim mulheres, digamos, reais. Segundo Alessandra Negrini, que interpreta a workaholic Marinati, “é um filme que dá espaço para falar de coisas cotidianas da mulher, dos nossos dramas, de dar conta de filho, marido, profissão, sexo… tudo ao mesmo tempo”.

Aliás, toda a questão do “mulher bem resolvida” parece estar fora da jogada para a atriz. “Essa coisa de ser bem resolvida é meio careta”, diz. “Não existe esse negócio, eu não tenho nada de bem resolvida. Claro que não sofro tanto por coisas que já sofri, principalmente na carreira, mas mas nada é resolvido, tudo está por vir, sempre”, reflete.

Parece ser essa certeza que dá a Alessandra a tranquilidade para poder olhar para trás e se ver de maneira mais conncreta. “Eu já larguei tudo para viajar, por uma paixão. Isso é necessário, é importante, mas depois alguma coisa acontece na sua cabeça e você volta ao normal”, conta.

Perto de completar 48 anos, a atriz não diz se é a idade que a faz pensar assim – na verdade, alega que o número sequer interfere em algo. “Chegar perto dos 50 é como era chegar perto dos 18, dos 20, dos 30 e dos 40”, brinca. “É sempre chegar perto de algum lugar indefinido contendo tudo que você já viveu. Na verdade idade é uma abstração, a gente é todas as idades que já tivemos até agora”, completa.

Além de Alessandra, Mulheres Alteradas tem Deborah Secco, Maria Casadevall, Monica Iozzi, Sérgio Guizé e Daniel Boaventura.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários