Essa exposição é destino obrigatório para fãs de hiper-realismo – GQ

28

Nem só de naturezas mortas são feitas as últimas exposições em SP. A arte realista de Kilian Glasner engana nosso cérebro e nos faz pensar que estamos diante de fotografias – quando, na verdade, são pinturas.

A mostra Natureza Incontornável, que a Galeria Lume recebe entre 24 de outubro e 25 de novembro, é uma boa oportunidade para conhecer o trabalho do artista. São 15 trabalhos, concebidos depois de um retiro de quatro meses na região da Chapada Diamantina, na Bahia.

Fã do Parque Nacional, o pintor partiu para seu refúgio pela sexta vez, sem data para voltar. Após meses de imersão total no ambiente, processo que envolveu dias a fio acampando sem um celular sequer por perto, ele voltou para seu ateliê no Recife com a cabeça cheia de ideias e, na mala, uma infinidade de registros fotográficos – base, de fato, para os seus desenhos.

A exposição traz os contornos e as cores do que o artista viu por lá. Em Distorções Psicodélicas, por exemplo, o avermelhado intenso é reflexo da cor dos rios da Chapada, repletos de ácido húmico – resultado da decomposição de matéria orgânica vegetal na região.

A obra Mergulho Cromático, de Kilian Glasner (Foto: Kilian Glasner)

Além dos desenhos, Kilian expõe um vídeo que reúne fragmentos de suas incursões. A ideia é que sua obra possa ser exibida em devices como smartphones e tablets para que mais pessoas tenham acesso ao seu trabalho.

Serviço:
Natureza Incontornável
De 24 de outubro, a partir das 19h, a 25 de outubro a 25 de novembro de novembro
Endereço: Rua Gumercindo Saraiva, 54 – Jardim Europa, São Paulo
Visitação: de segunda a sexta-feira, das 10h às 19h | sábados, das 11h às 15h
Telefone: (11) 4883-0351

Fonte Oficial: http://gq.globo.com/Cultura/noticia/2017/10/essa-exposicao-e-destino-obrigatorio-para-fas-de-hiper-realismo.html.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários