Essa fala de Steve Jobs irá encorajar você a realizar os seus sonhos – GQ

18

Todos nós temos sonhos difíceis de ser realizados, quase impossíveis. No fundo, sabemos que temos capacidade e talento para atingi-los. O que nos falta é perseverança, determinação e, segundo uma fala histórica de Steve Jobs, criador da Apple, a coragem de pedir ajuda.

Um vídeo gravado em 1995 mostra um ensinamento cru e direto do empresário que ajudaria a moldar o mundo digital em que vivemos nos dias de hoje. Segundo ele, o sucesso profissional pode começar a ser trilhado com uma simples demonstração de interesse por telefone.

Quem não corre atrás já tem o “não” de antemão. As pessoas que ousam correr atrás do próprio sonho, por outro lado, podem ser surpreendidas com diferentes respostas. Pelo menos essa era a visão de Steve Jobs em 1994, como mostra o vídeo abaixo, resgatado pela revista Inc.

“Nunca encontrei alguém que não quisesse me ajudar.Quando tinha 12 anos, liguei para Bill Hewlett (um dos fundadores da HP) e disse. ‘Oi, eu sou Steve Jobs. Tenho 12 anos. Sou aluno do ensino médio. Quero construir um contador de freqüência, e queria saber se você tem algumas das peças que eu preciso’. Ele riu, e me deu as peças que tinha sobrando, além de me oferecer emprego… Fiquei radiante.

Sabe, eu nunca encontrei alguém que tenha me dito não logo de cara ou que desligou o telefone quando liguei. Eu apenas pedi. E quando as pessoas me pedem, tento ser receptivo, pagar essa dívida de gratidão de volta.

A maioria das pessoas nunca pega o telefone e liga para ninguém. A maioria das pessoas nunca pergunta ou pede nada. É isso que, às vezes, separa as pessoas que realizam grandes façanhas das pessoas que apenas sonham com elas”
 

 

Fonte Oficial: http://gq.globo.com/Prazeres/Tecnologia/noticia/2017/10/essa-fala-de-steve-jobs-ira-encorajar-voce-realizar-os-seus-sonhos.html.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários