Filho de Luiza Tomé tranca faculdade de Direito para se jogar nas passarelas da semana de moda de SP – Moda – Glamurama

4

O modelo Bruno Facchini, filho de Luiza Tomé e Adriano Facchini || Créditos: Reprodução Instagram

Bruno Facchini, 20 anos, tinha acabado de concluir o terceiro semestre do curso de Direito da FAAP, em São Paulo, quando decidiu trancar a faculdade para se dedicar à carreira de modelo. “Tentei durante um mês conciliar a faculdade com a carreira, mas não deu”, contou o moço ao Glamurama, que, para quem ainda não ligou o nome à pessoa, é o filho mais velho de Luiza Tomé e Adriano Facchini.

Ele tinha apenas três anos quando a mãe interpretava Rosa Palmeirão em “Porto dos Milagres”(2001), época em que era considerada uma das grandes atrizes e sex symbol da TV brasileira. Low profile confesso, Bruno considera a passarela o mais próximo que pode chegar da carreira da artística, pelo menos por enquanto. “Sempre fui um cara muito tímido e creio que, para ser ator, incorporar um personagem, é preciso, além de ter dom, claro, ser muito mais desinibido que um modelo”, falou ao Glamurama.

Sua carreira de modelo é recente. Começou há apenas quatro meses e aconteceu organicamente. “Nunca tive interesse em ser modelo até que comecei a receber muitos convites. Hoje um dos meus sonhos é ser bem sucedido nessa área”, conta o bonitão, do alto de seu 1,90m de altura. Detalhe: ele fará sua estreia na semana de moda de São Paulo, o evento mais importante do setor no país, que dá o start em mais uma edição a partir deste domingo, participando de alguns desfiles. Tudo sob a supervisão de sua agência, a Ford Models, e com os pais na primeira fila.

Bruno Facchini || Créditos: Reprodução Instagram

Aliás, o apoio dos pais super ajuda nesse início. “Eles me incentivam e me apoiam muito.” O conselho que a mãe lhe dá? “Sempre ter Deus em primeiro lugar, conservar seus ensinamentos e ter caráter.” Já seu pai, que, não por acaso, já foi modelo, “incentiva até demais”, entrega Bruno caindo na risada.”Ele também quer que eu seja ator”.

Como acontece com muitos filhos de famosos, Bruno já sofreu na pele os efeitos da superexposição: “A pior fase foi quando eu tinha uns 12 anos, época em que minha mãe estava fazendo muita novela. Como ela tinha saído na ‘Playboy’ sempre tinha uns babacas que falavam coisas como ‘olha, que gostosa’. Tinha vontade de ‘matar’, mas passou.”

Mas é claro que, apesar de ter que lidar com o ciúme, há a parte boa de carregar o DNA de Luiza Tomé. “Minha mãe é um exemplo para mim, ela realmente é excepcional, uma mulher muito batalhadora. No passado eu era muito ciumento, hoje não mais. Nunca gostei muito de chamar atenção, então no passado me incomodava com as pessoas que abordavam pedindo autógrafo. Pensava, ‘como assim, essas pessoas vindo falar com a gente sem nos conhecer?’”. Na foto abaixo, Bruno com seus dois irmãos, Adriana e Luigi.

Para encerrar, algumas informações básicas sobre o gato: ele está solteiro há um ano, costuma andar “largadão” e tem entre seus hobbies skate e surfe. Faz academia para manter o corpinho sarado e adora tiro esportivo. Um sonho? Ser delegado e trabalhar na Polícia Federal. “Ainda vou concretizar”.

 

 

Fonte oficial: Glamurama

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários