Fimose em adulto é caso para cirurgia – GQ

8

A circuncisão ou postectomia é uma das cirurgias mais antigas do mundo. Há registros de que é realizada há cerca de 5 mil anos, desde a civilização egípcia, passando por rituais religiosos de judeus e de muçulmanos. Só mais recentemente foi adotada por médicos para atender adultos com fimose, quando há dificuldade de retrair a pele que cobre a cabeça do pênis.

+ Quebrando os tabus do câncer de pênis e de próstata
+ Tudo o que você sempre quis perguntar ao urologista
+ Quatro problemas relacionados ao pênis (e como identificá-los)

O que é a fimose?
É a incapacidade de retrair completamente a pele (prepúcio) que a cobre a glande (cabeça do pênis). É frequente em bebês até um ano de vida e tende a se normalizar naturalmente até os três anos com o crescimento do pênis. Somente 1% dos meninos atinge a adolescência sem nunca ter conseguido retrair completamente o prepúcio. Nos casos mais leves, é possível recorrer a pomadas – e em, nos mais agudos, à postectomia.

Fimose em adultos
Não ter fimose na infância não significa estar livre na vida adulta, pois ela pode surgir após uma infecção urinária ou traumatismo local. Nos idosos, as causas estão mais associadas à perda da elasticidade da pele e à impotência sexual. A fimose provoca uma sensação de incômodo, semelhante a ter um anel pressionando a ponta do pênis. Quanto mais severo o grau (há casos de retração zero do prepúcio), maiores as chances de complicações. Procure sempre um urologista para fazer o diagnóstico correto e saber se a postectomia é o tratamento indicado para o seu caso.

Riscos em adultos
A fimose deixa a pele ao redor da glande apertada, fazendo com que um pouco de urina fique retida. É o ambiente perfeito para a proliferação de vírus, bactérias e fungos que causam inflamações e infecções. Aí começam aqueles sintomas desagradáveis de queimação ao urinar, vermelhidão, dor nas relações sexuais. Ela ainda provoca ereções dolorosas, sangue na urina e jato urinário fraco. Nos casos extremos, leva ao câncer de pênis.

Dificuldade de limpeza
Como a pele não se retrai, quem tem fimose não consegue limpar a secreção branca e pastosa que se acumula ao redor da glande (esmegma). A simples falta de higiene contribui para novas inflamações e infecções, tornando-se um ciclo recorrente.

+ Pênis: tudo que você sempre quis saber e não tinha coragem de perguntar
+ 8 exercícios simples que podem melhorar a qualidade da sua ereção

Fimose não causa impotência
Homens com fimose conseguem ereção normalmente. Dependendo do grau, pode haver incômodo no momento da penetração, já que a glande fica presa no prepúcio.

Como é a cirurgia de circuncisão
A cirurgia remove o excesso (total ou parcial) de pele para que a cabeça do pênis possa ser exposta sem causar dor ou incômodo. É um procedimento simples, com duração de cerca de 30 minutos, com anestesia local na base do pênis. São necessários de 10 a 20 pontos, que são absorvidos pelo corpo. O paciente fica internado 2 dias e pode retomar a rotina após 4 dias e as atividades sexuais somente depois de 30 dias.

Benefícios da circuncisão
Além de curar da fimose, a circuncisão facilita a limpeza do pênis, reduz as chances de infecção urinária e de doenças sexualmente transmissíveis, como Aids, clamídia, herpes e HPV, segundo a Sociedade Americana de Microbiologia. Mesmo assim, homens circuncidados devem continuar usando preservativos.

Cirurgia não aumenta nem diminui o pênis
Seu amigo vai continuar do mesmo tamanho, nem maior nem menor.

+ Estudo revela a aparência do “pênis ideal”, na opinião das mulheres
+ Cinco regras básicas para manter seu “playground” limpinho
+ Esta camisinha masculina promete inovar nas sensações do sexo

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários