Forever 21 segue com pedido de falência e deve fechar mais de 300 lojas – GQ

9

Loja da Forever 21 em Londres (Foto: LightRocket via Getty Images)

A rede de vestuário Forever 21 abriu falência no último domingo (29). A possibilidade já estava por aí, pairando no ar, mas agora há mais informações: 300 a 350 lojas ao redor do mundo devem fechar as portas durante o processo – 178 destas nos EUA, seu mercado de origem.  O reestruturamento configura um adeus para regiões pouco rentáveis para a marca na Ásia e Europa. A Forever 21, por outro lado, seguirá operando na América Latina e México. No total, a marca detinha 815 endereços espalhados ao redor do mundo.

+ O que você precisa saber sobre a crise da WeWork
+ Barneys New York entra com pedido de falência
+ Nike, Coach e Gap estão entre as marcas americanas mais bem sucedidas

O processo ocorre no capítulo 11 da lei de falências americana. Trocando em miúdos, não é bem um ponto final para a empresa. Ao invés disso ele abre espaço para que ela reorganize sua estratégia e busque novos investimentos. A Forever 21 recebeu US$275 milhões em financiado da JP Morgan, e outros US$75 mi de capital da firma TPG Sixth Street Partners. Suas operações no Canadá estão protegidas de credores.

A Forever 21 foi fundada em 1984 pelo casal de imigrantes coreanos Do Won Chang e Jin Sook – que até hoje são donos do negócio. De uma pequena loja em Los Angeles, a marca cresceu para uma varejista multinacional, que seguiu adicionando novos endereços ao portfólio até 2016. Entre eles estão uma superloja no Times Square, NY, de 8,3 mil m² e 151 provedores. Ela é uma das maiores locatárias em shoppings nos EUA e enfrenta dois problemas: a competição de outras varejistas fast fashion, como Zara e H&M, e um fluxo menor de compradores. As dificuldades já fizeram a empresa fechar ou diminuir algumas de suas lojas.

Acompanha tudo de GQ? Agora você pode ler as edições e matérias exclusivas no Globo Mais,o app com conteúdo para todos os momentos do seu dia. Baixe agora!

Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários