Fotógrafo pede que pessoas editem seus próprios rostos para ficarem mais ‘amigáveis’ em redes sociais – GQ

8

Estaria a edição de fotos indo longe demais? O fotógrafo de moda britânico Rankin tentou encontrar uma resposta para isso ao tirar retratos de 15 adolescentes e pedir que eles editassem as fotos para torná-los mais bonitos para redes sociais. As imagens hiper-retocadas – quase no estilo anime, lábios carnudos e pele estranhamente brilhante – são nada menos que chocantes.

“É hora de reconhecer os efeitos prejudiciais que redes sociais têm sobre a auto-imagem das pessoas”, escreveu Rankin no seu perfil no Instagram, observando que os adolescentes estavam apenas imitando o que eles vêem seus ídolos. “É apenas mais uma razão pela qual estamos vivendo em um mundo de medo de estar por fora, tristeza e aumento da ansiedade”, completou.

+ Tudo pela selfie perfeita: conheça os procedimentos estéticos mais buscados pelos homens
+ Fotógrafo japonês embala casais com saco a vácuo

A série de fotografias, intitulada “Selfie Harm“, faz parte de um projeto chamado Visual Diet, que investiga como as imagens podem afetar a saúde mental. A crítica é à facilidade com que editamos fotos em aplicativos atualmente. “Isso é algo muito novo e, na minha opinião, muito mais perigoso”, continuou o fotógrafo. “O que é ainda mais assustador é que há pouco ou nenhum debate acontecendo em torno disso”.

Nenhum dos adolescentes fotografados por Rankin optou por deixar suas fotos sem edição. Mas isso não quer dizer que eles tenham gostado mais das versões bizarras. “A maioria das pessoas preferiu sua imagem original”, observou Rankin.

Veja mais imagens da série “Selfie Harm” abaixo.

Selfie Harm (Foto: Rankin)
Selfie Harm (Foto: Rankin)
Selfie Harm (Foto: Rankin)
Selfie Harm (Foto: Rankin)

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários