Google adquire Fitbit e planeja competir diretamente no mercado de wearables – GQ

8

FitBit Charge HR (Foto: Moment Editorial/Getty Images)

Fitbit, companhia americana conhecida por seus wearables fitness, passará a fazer parte do Google. A gigante das buscas anunciou nesta sexta-feira (01) acordo definitivo para a aquisição da companhia pelo valor de US$ 2,1 bilhões (R$ 8,35 bi). Em postagem no blog da companhia, o VP sênior de produtos e serviços Rick Osterloh aponta que a negociação é “uma oportunidade para investir ainda mais no Wear OS e introduzir wearables Made by Google no mercado”.

+ Google Pixel 4 x iPhone 11: o que esperar de alguns dos melhores smartphones no mercado
+ O guia GQ para comprar um smartwatch

Concluidos os trâmites, a Fitbit será completamente englobada pelo Google – ou seja, não será um departamento ou divisão separada dentro do grupo. Apesar da proximidade, porta-vozes da Fitbit confirmaram em comunicado oficial que dados dos usuários não serão usados para alimentar serviços como o Google Ads.

O casamento pode render bons frutos para ambas as partes. Os esforços do Google no lado do software nunca encontraram terreno firme na forma de wearables populares no mercado (vide o Google Glass e um punhado de smartwatches compatíveis com Android, que nunca realmente decolaram). Já a Fitbit pode aproveitar o ecossistema não apenas do sistema operacional móvel do Google, o Wear OS, mas também do Android, para fabricar wearables mais inteligentes e conectados. Um bom negócio!

Acompanha tudo de GQ? Agora você pode ler as edições e matérias exclusivas no Globo Mais,o app com conteúdo para todos os momentos do seu dia. Baixe agora!

Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários