Híbrido ou elétrico, qual será o seu próximo carro? – GQ

10

Híbrido ou elétrico? Na foto, o primeiro 100% elétrico da Jaguar, I-Pace (Foto: Divulgação)

Nos últimos anos, o mercado brasileiro foi invadido por carros híbridos. Neste, surgiram opções ainda mais tecnológicas com os 100% elétricos. A tendência por aqui é que, até 2030, nenhum modelo novo deixe a fábrica usando apenas a combustão como fonte de energia. Mas hoje, na prática, você sabe quanto tempo leva para carregar um carro elétrico? Qual autonomia da bateria? Quanto custa manter um carro híbrido?

+ Por que você talvez demore para comprar um carro elétrico
+ O novo projeto de Hans Zimmer? Compor o ronco de um carro elétrico
+ Com novo Taycan, Porsche se rende aos elétricos

Para tentar responder essas questões, rodei durante cinco dias com dois lançamentos do mercado brasileiro, o Volvo S90 T8 (híbrido) e o Jaguar I-Pace (100% elétrico). Já posso dar um spoiler: seu próximo carro não será abastecido somente nos postos de gasolina.

Conforto e Tecnologia

Quando se dirige um lançamento de uma marca de luxo, você tem a sensação que vai precisar de muito tempo para desvendar todas as funções dos inúmeros botões nos painéis do carro. Não se sinta um mau motorista por isso. Os novos carros exigem muito mais do que acelerar, frear e fazer uma baliza. No caso do novo Volvo S90, por exemplo, para ajustar o banco você tem mais de três botões diferentes que, além dos  convencionais, estendem o apoio para o joelhos, aquecem ou esfriam os bancos e ajustam a largura, fazendo o banco quase te abraçar. O painel e o volante trazem o DNA dos demais membros da família Volvo: minimalismo, botões intuitivos e um tablet no console central que controla todas as funções do carro. O sistema de alto-falantes da Bowers & Wikins impressiona pela acústica que cria dentro do cockpit, quando selecionada a função “Sala de Concerto de Gotemburgo”. Um joystick de cristal no câmbio, portas e painel revestidos em madeira e couro, deixam claro que você será muito bem tratado dentro deste sueco. Por fora, o sedã não passa despercebido graças a sua carroceria longa, baixa e larga com uma grade frontal imponente e os já tradicionais faróis em LED apelidados de “Martelo de Thor”.

O interior do Volvo S90: minimalismo, botões intuitivos e um tablet no console central que controla todas as funções do carro (Foto: Divulgação)

Mesmo sem oferecer tantos mimos ao motorista, o Jaguar I-Pace não deixa a desejar quando se trata de luxo e tecnologia. Sua cabine, com muitas telas e poucos botões físicos, faz você se sentir em um filme de ficção científica. Dá medo de tocar algo errado e ejetar o banco do motorista. Com interior herdado do primo Velar, os comandos são bem intuitivos e você não precisará perder muito tempo para entender suas funções. Destaque para o novo Touch Pro Duo, com a tela de 5” na parte debaixo do console que controla o ar-condicionado e o sistema multimídia. O imenso teto solar panorâmico, apesar de obrigar o ar condicionado a trabalhar mais intensamente, deixa o interior do SUV ainda mais espaçoso. Difícil mesmo será você rodar com esse carro sem que alguém vire o pescoço para olhar os detalhes do seu exterior: sua linhas agressivas e vincos acentuados deixam esse Jaguar com aparência agressiva e futurista, tanto na dianteira quanto da traseira. Olhando de lado, o design é ainda mais limpo graças às maçanetas que ficam escondidas dentro da lataria e só se mostram quando você destrava o carro.

Na cidade

Rodar com um carro 100% elétrico ou híbrido vai mudar a sua forma de dirigir. Em ambos você irá sentir diferença principalmente nas frenagens (que regeneram a bateria) e na aceleração (mais dinâmica e rápida).

O silêncio dentro da cabine do I-Pace impressiona. Sem o aviso “ready” no painel, seria impossível saber se o carro está ligado. No anda-e-para do trânsito, depois de uma certa prática, você consegue rodar sem usar os freios. Isso porque quando você deixa de acelerar, o SUV automaticamente reduz a velocidade e começa a usar essa energia para carregar a bateria. Arrancar com o I-Pace no farol verde faz com que os ocupantes grudem no banco, já que por ser elétrico, não possui curva de torque e toda sua potência fica disponível e instantânea durante a aceleração. Não à toda o desempenho lembra um esportivo: ele faz de 0 a 100km/h em menos de 5 segundos.

O Volvo S90 sendo carregado na rua. Em casa, em aproximadamente três horas você garante 100% de carga da bateria usando uma tomada de 220v (Foto: Divulgação)

Como a autonomia da bateria passa dos 400 km, no deslocamento diário dentro da cidade você não se preocupa com o nível dela já que pode carregar 100% da carga em uma tomada doméstica durante pelo menos 12 horas. Já nos carregadores rápidos (disponíveis em shoppings, mercados) você consegue 80% de energia com apenas 40 minutos plugado, ou seja, é comum ir ao cinema ou fazer compras enquanto carrega a bateria do Jaguar.

O sedã da Volvo também não emite nenhum ruído ao ligar. Isso porque, em baixa velocidade é possível usar apenas energia das baterias para rodar. Com rotações maiores, ele se torna um pouco menos silencioso, mas nada comparado ao ruído dos carros só a combustão. Apesar de grande e pesado, o motor elétrico no eixo traseiro, aliado ao motor à combustão gera mais de 400 cv de potência e levam o carro a 250km/h de velocidade máxima. Nada mal.

Mesmo com todos esse desempenho, na cidade o consumo médio (combinando energia elétrica e gasolina) ficou acima dos 20 km/litro, ou seja, para o deslocamento diário você não precisará abastecer o S90 toda semana. Como existe a possibilidade de carregamento da bateria via plug-in, em aproximadamente três horas você garante 100% de carga da bateria usando uma tomada de 220v.

Na estrada

O elétrico da Jaguar conectado à tomada. Nos carregadores rápidos (disponíveis em shoppings, mercados) você consegue 80% de energia com apenas 40 minutos plugado (Foto: Divulgação)

A condução semi-autônoma do Volvo impressiona: o piloto automático controla direção (lê as faixas da estrada), aceleração e frenagens até os 130 km/h.  O carro parece ter vida própria e contorna sozinho as curvas. Só não é mais divertido por conta das condições de nossas estradas, já que se a pista tiver ondulações ou for mal sinalizada, o sistema não consegue auxiliar o motorista. A grande vantagem é contar com a autonomia dos motores elétricos e a combustão, ou seja, além do baixo consumo de combustível você poderá encher o tanque em qualquer posto de combustível durante viagens mais longas.

Com um carro 100% elétrico, como o I-Pace, as viagens longas exigem um planejamento mais detalhado. Se a ideia for rodar mais de 400km numa tacada só, se torna imprescindível programar uma parada para recarregar a bateria. Dependo do carregador disponível, isso pode demorar muito mais tempo do que uma parada para um cafezinho.

Veredito

Muitas montadoras, incluindo a Volvo, prometem instalar pontos de recarga para carros elétricos nas cidades e estradas do Brasil. Esse é o grande calcanhar de Aquiles para os consumidores que pensam em investir em carros 100% elétricos por aqui. Com isso, os híbridos ainda são a escolha mais segura para os motoristas que gostam de pegar a estrada. Por outro lado, os carros que não usam combustão se mostram cada vez mais a melhor opção para os deslocamentos diários dentro das cidades.

Na dúvida, tenha um elétrico para ir ao trabalho e um híbrido para viajar com a família. Garanto que será bem divertido. E o planeta agradece.

Ficha Técnica

Volvo S90 T8
Valor = R$ 365.950
Potência combinada (elétrica + gasolina) = 407cv
Aceleração de 0 a 100km/h = 4,9 segundos
Velocidade Máxima = 250 km/h
Comprimento = 4.963 mm
Peso = 2.031 kg

Jaguar I-Pace
Valor = R$ 437.000
Potência = 400cv
Aceleração de 0 a 100km/h = 4,8 segundos
Velocidade Máxima = 250 km/h
Comprimento = 4.682 mm
Peso = 2.208 kg

Acompanha tudo de GQ? Agora você pode ler as edições e matérias exclusivas no Globo Mais,o app com conteúdo para todos os momentos do seu dia. Baixe agora!

Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários