Jaguar Land Rover tem uma preocupação com o avanço do Brexit: manter empregos – GQ

11

O Brexit, o processo de retirada do Reino Unido da União Europeia engatilhado em 2016, pode custar dezenas de milhares de postos de trabalho a menos para a Jaguar Land Rover. O anúncio foi feito nesta terça-feira (12) pelo diretor executivo Ralph Speth à primeira ministra Theresa May. O corte ocorreria boa parte devido ao rompimento de cadeias de fornecimento, que a empresa seria obrigada a fazer no dia 30 de março do ano próximo – o dia logo depois da saída – e significaria um impacto significativo na linha de produção.

Não é a primeira vez que Ralph e sua empresa se posicionaram a respeito dos desdobramentos problemáticos da decisão. Em conversa com o Financial Times (via Valor) em julho, Speth disse que a indústria automobilística poderia se tornar inviável na região caso relações fossem cortadas com a UE. O Brexit poderia, no fim das contas, gerar um custo de 1,2 bilhões de libras ao ano em taxas aduaneiras e congela avanças em modelos híbridos e elétricos – este último um grande foco pra empresa.

Ralph Speth, diretor executivo da Jaguar Land Rover (Foto: Getty Images)

As colocações são dignas de nota pois vêm da maior fabricante automobilística do Reino Unido, que hoje contrata 40 mil funcionários e exporta 18 bilhões de libras em bens por ano. Elas também botam mais um ponto delicado sobre as negociações de saída do bloco. A primeira ministra corre o risco de perder o posto depois que um grupo de parlamentares do Partido Conservador expressaram a possibilidade de irem em frente com um voto de não confiança, que pode resultar em sua deposição caso ela não encontre apoio de outros representantes do bloco mais conservador de seu governo.

+ Jaguar E-type Zero: o carro elétrico mais bonito do mundo?
+ #GQporElas: as embaixadoras inauguram uma nova era na indústria automobilística
+ Jaguar confirma lançamento de crossover entre SUV e esportivo

O plano de May envolve manter relações futuras entre a União Europeia e a Grã-Bretanha, evitando a criação de uma fronteira na Irlanda do Norte mas dando ao parlamento liberdade de tomar decisões contrárias aos interesses da UE – incluindo em temas como imigração. Para críticos, o plano não seria firme o bastante, e seria incapaz de representar a vontade dos eleitores.

A Jaguar Land Rover já anunciou que vai montar a linha Discovery em sua fábrica na Eslováquia, ao invés de fazer um meio de campo entre o país e a Grã-Bretanha. Esportivos beberrões e jeeps para aventureiros de fim de semana, então, sofrem da mesma maneira com crises do mercado aberto que motocicletas envenenadas: no mês passada a Harley-Davidson afirmou ser incapaz de manter suas fábricas nos EUA exportando para a Europa sob a guerra tarifária – sugerindo que ao menos parte da montagem para exportação seja feita no Brasil ou Índia.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários