John McCain queria que Matt Damon o interpretasse como herói de guerra – GQ

15

John McCain, senador republicano e ex-candidato à presidência dos Estados Unidos, morreu na última sexta-feira (25), vítima de um câncer no cérebro. Com uma rica história de serviços prestados ao seu país – desde soldado na guerra do Vietã ao Congresso -, o político se despediu do mundo sem um dos seus desejos realizados: ver Matt Damon o interpretando nos cinemas.

A informação foi revelada pela jornalista Cindy Adams, no site Page Six. “Eu gostaria que Matt Damon me interpretasse como prisioneiro de guerra”, disse McCain à jornalista em uma entrevista concedida em 2008. Ele se referia aos cinco anos em que foi mantido como refém por tropas vietnamitas no auge do confronto entre os Estados Unidos e o estado do sudeste asiático.

McCain sobrevoava a capital do Vietnã, Hanói, em 1968, quando um míssil atingiu o seu avião. Com braços e pernas fraturados, ele acabou sendo capturado por soldados inimigos. Ele foi torturado e mantido preso até março de 1973, quando assinou um documento de confissão dos seus crimes e acabou sendo mandado de volta ao seu país natal.

O status de “herói de guerra” foi dado pelos seus colegas. Durante a Guerra do Vietnã, o pai de McCain, John S. McCain, Jr, se tornou o chefe das forças dos Estados Unidos na guerra e teria conseguido um acordo para libertar o seu filho. Segundo os outros soldados, o jovem John McCain recusou a ideia de ser solto em solidariedade aos companheiros de cela.

+ Matt Damon está se mudando dos EUA por causa de Trump, diz site
+ Matt Damon dá dicas para criar filhas feministas

 

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários