Karl Lagerfeld ressuscitou a Chanel e não vai ser fácil substituí-lo  – R7 Meu Estilo – R7

9



Não deu nem tempo de Karl Lagerfeld ser sepultado, e a Chanel se apressou em apresentar ao mundo sua substituta: a diretora de estúdio da marca, Virginie Viard. Ela ocupará o cargo de diretora criativa da firma, no lugar do estilista, que faleceu nesta terça-feira (19), em Paris. Mas substituir Karl Lagerfeld não será uma tarefa simples. 


Virginie Viard é a sucessora de Karl Lagerfeld na Chanel


Especialistas em Moda garantem que Lagerfeld foi muito mais que um estilista. “Ele era uma pessoas culta e refinada, conhecia muito do que chamava de arte aplicada, e conhecia muito o universo pop. Lagerfeld ja vinha namorando o prêt-à-porter antes de todo mundo”, diz o jornalista Mario Mendes, um craque na cobertura de Moda.  “O estilista soube reinterpretar a Chanel para uma nova época, tirou a marca do túmulo, e soube manter isso por mais de 40 anos”, explica. 


Karl Lagerfeld, diretor criativo da Chanel, morre aos 85 anos


Para Brunno Almeida Maia, pesquisador em filosofia pela Universidade Federal de São Paulo, e professor de cursos sobre as relações entre Moda, Filosofia, Arte e Literatura, na FAAP, Belas Artes e Senac, Karl Lagerfeld foi um mestre de tripla cidadania: alemão, francês e grego antigo. “No primeiro caso, de nascença; no segundo, pela paixão à beleza das coisas, por certa delicadeza; e, por último, grego, pois sabia – ao modo dos antigos – que a virtude de algo é cumprir a sua finalidade. Ele conhecia essa ‘virtude da roupa'”, analisa. 


Karl Lagerfeld colecionava polêmicas e fatos inusitados


Lagerfel, segundo Almeida Maia, se manteve fiel ao espírito da Maison Chanel, à forma que consagrou a sua fundadora Coco Chanel, sem dispensar o saber-fazer, a perícia, de um mestre-artesão. “Karl era um ourives da roupa”, resume. 


Para o estilista e professor José Gayegos, Lagerfeld foi um criador multimarca. “Ele nunca fez sucesso com a sua própria grife, ao contrário de Yves Saint Laurent. Seu talento, indiscutível, tinha que ter um ponto de partida, como na Chanel e Fendi. Sua personalidade sempre foi mais forte que seu talento”, avalia. El soube, ao mesmo tempo, renovar a Chanel, sem tirar seu DNA. “Não vai ser fácil substituí-lo”, acredita Gayegos.


Famosos lamentam morte do estilista Karl Lagerfeld


Regina Guerreiro, em suas redes sociais, lamentou a pressa com que a Chanel anunciou a substituta do diretor criativo. “Sei que Karl estava doente. Sei que era Virginie que ele apoiava como sua sucessora. Mas acho melancólico como o mundo ficou sendo: “sai da frente que ai vem gente”. Olhando até para a urgência material do business em que questão, não seria mais incrível (e menos constrangedor) fazer mais algumas horas de suspense?”, questionou a editora.


Lagerfeld, segundo Regina, era um dos personagens mais carismáticos do cenário fashion. “Cultíssimo, talentosíssimo, atuante. Petulante? Não mesmo. Imponente, isso sim. Chegava sempre “chegando”, visú impecável, marcante, desses que monopolizam no ato todos os olhares. Mesmo já idoso, nunca (nunquinha mesmo), perdeu a pose”, escreveu em seu perfil no Facebook.


Sem Karl Lagerfeld, a Chanel não será mais a mesma. Ou não!


Regina conta que conheceu Monsieur Lagerfeld super jovem (anos 70), quando ainda era estilista da Clhoé. “Lembro que me apaixonei por um modelão de festa, prédios e luzes de uma cidade estilizada percorriam toda a barra do vestido. Amazing!! Foi o começo de um grande percorrer. Vida intensa, extensa. Um homem do mundo, definitivamente. Teve tudo: fama, dinheiro, amigos famosos (praticamente uma “platéia”…), Colecionou casas, móveis de época, livros de arte, etcetera/eteceteras.”


A editora considera Lagerfeld uma eternização poética e retumbante do talento de Mademoiselle Chanel. “Os desfiles, antes trançados/misteriosos, se transformaram em espetáculos imperdíveis. Marqueteiros? Pourquoi pas?? Sobreviver é preciso… Enfim, o vai ser agora – sem a batuta dele – ninguém sabe. Agora, vivemos apenas esse silêncio, essa lacuna, essa tristeza. Karl se foi. Mas … nossa!! Como seu tempo por aqui foi deslumbrante”. 





Fonte oficial: R7

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários