L_cio e Tessuto querem reinventar a noite brasileira – GQ

5

Laercio, mais conhecido como L_cio, esconde talento múltiplo por trás da timidez aparente. Professor de Educação Física, não tinha nenhum vínculo com a música eletrônica até a sua ida a uma rave em 2002. Ele ficou muito intrigado com tudo o que viu e ouviu. A partir disso, teve vontade de se apresentar ao vivo logo de cara. Largou a profissão e hoje é considerado um dos produtores brasileiros mais notáveis.

+ Augusto Olivani comanda uma das festas mais importantes de São Paulo
+ Linn da Quebrada representa uma das maiores vozes da comunidade LGBTQIA+
+ Conheça os 43 músicos que inspiram o set de Virgil Abloh como DJ

Diferente de um DJ, cria e apresenta suas produções próprias em formato live, o que evidencia sua importância artística na cena cultural atual.

Tessuto é outro caso de quem resolveu jogar tudo para o alto para tentar outra profissão. Integrou o coletivo Voodoohop por um tempo, outro grande expoente da noite paulistana, mas foi ao criar um personagem, ‘Capslock’, que tudo de fato mudou. “Carlos Capslock é um cara hipocondríaco, ama a Xuxa, gosta de festas, mas nunca sai de casa. Nada faz sentido nele”, admite.

A primeira edição da Capslock aconteceu na Trackers, prédio que virou balada no centro de SP. De lá para cá, a festa se tornou uma das mais importantes da capital paulista, não só por liderar o movimento de expansão para outras regiões além do centro da cidade, mas também pelo espírito livre que propõe. “A diferença do que fazemos aqui no Brasil para o que a galera faz lá fora é a característica selvagem. Apesar de termos uma cena coerente com o global, eles começaram há mais tempo e tudo aqui ainda é novo”, reconhece Tessuto.

Ouça abaixo a playlist montada por Tessuto exclusivamente para o perfil da GQ Brasil no Spotify:

Styling Gustavo José; Grooming Marilio Bitarello; Assistente De Fotografia Wallace Costa; Produção Executiva Flavia Fraccaroli; Agradecimento Caracol Bar

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários