Liga Mundial de Surfe anuncia premiação igual para homens e mulheres – GQ

9

Iguais por natureza: com esse título em um vídeo do Instagram a WSL, Liga Mundial de Surfe, anunciou que a partir de 2019 todos os eventos organizados pela liga terão premiação igual nas categorias feminina e masculina. Parece básico, não? Mas você sabia que na lista dos 25 atletas mais bem pagos do ano, somando-se salários e publicidade, nenhum é mulher? A WSL é a única liga global sediada nos Estados Unidos a equiparar a premiação entre gêneros. No vídeo de anúncio surfistas do circuito declararam sua empolgação com a notícia. Stephanie Gilmore, número um do ranking mundial disse que quase chorou com a notícia e que ficou orgulhosa por ser surfista. Carissa Moore defendeu: “Isso não é bom apenas para surfistas profissionais de agora, mas diz muito para a próxima geração”. 

+ Piscina capaz de gerar mil ondas por minuto é aposta escocesa para crescer no surfe
+ Bali, o destino obrigatório de quem sabe curtir a vida
+ Livro reúne fotos dos maiores surfistas brasileiros

Sophie Goldschmidt, CEO da WSL, disse ao The Players’ Tribune que está muito entusiasmada e completou: “Esta é a mais recente de uma série de ações que a Liga se comprometeu a trabalhar para nossas atletas do sexo feminino, desde competir na mesma qualidade de ondas que os homens, até melhores locações e mais apoio e investimento no surfe feminino. Esta mudança era simplesmente a coisa certa a fazer pela WSL”. Outras iniciativas a serem adotadas na temporada de 2019 são: Uma campanha de marketing global para destacar o circuito feminino, além de aumentar a visualização dos eventos e o envolvimento dos fãs; um programa local de envolvimento da comunidade para meninas em todo o mundo, com clínicas instrucionais com atletas da WSL em cada etapa feminina do Championship Tour para inspirar novas gerações a abraçar o surfe; e uma série de conteúdos mensais sobre as mulheres pioneiras do surfe, celebrando-as nos canais da WSL, começando na próxima semana com a heptacampeã mundial Layne Beachley.
No vídeo do instagram da WSL, Kelly Slater disse estar orgulhoso do esporte por ter dado esse exemplo: “Espero que um dia olhem pra trás e lembrem que o surfe foi o primeiro esporte a fazer isso e que depois começou a acontecer com os outros esportes”. Esperamos que outros esportes realmente sigam o exemplo.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários