Lista GQ: os melhores carros e motos do ano – GQ

44

BMW i8 Roadster: É o único conversível híbrido do Brasil. Seu motor turbo à combustão, combinado ao elétrico, fazem o i8 chegar a 250 km/h (Foto: divulgação)


BMW i8 roadster (Foto: divulgação)

Seja notado nas ruas

Todas as máquinas desta lista são exclusivas, mas se a sua intenção não é passar despercebido no trânsito e fazer a alegria de todo o vallet dos restaurantes que frequenta, considere comprar este esportivo híbrido da BMW. O modelo que desembarcou por aqui no segundo semestre de 2019 por R$ 699.950 possui motor 1.5 turbo à combustão (que move as rodas traseiras) e outro elétrico responsável pelo eixo dianteiro. Combinados, eles geram 374 cv de potência e levam o i8 até 250 km/h de velocidade máxima. As linhas da carroceria, os desenhos das lanternas e faróis em LED já destacam muito o único conversível híbrido do Brasil, mas se você quiser elevar ainda mais o nível de atenção por onde passar, escolha a pintura laranja com detalhes em cinza. A cereja do bolo fica por conta das portas que se abrem para cima. Tudo isso junto no mesmo carro é muito melhor do que qualquer filtro que o Instagram possa lançar.


Harley-Davidson LiveWire (Foto: divulgação)

De volta para o futuro

Em 2015, quando Barack Obama ainda era presidente dos Estados Unidos, fui a Miami ser um dos primeiros a pilotar a moto 100% elétrica da Harley. De lá para cá, ela deixou de ser um protótipo, ficou mais robusta, ganhou mais carenagens, mas não perdeu o desempenho de esportiva. O modelo consegue chegar aos 100 km/h em 3 segundos com facilidade, já que não tem embreagem e não existe troca de marchas. A autonomia pode chegar até 240 km sem necessidade de carga e o ruído da LiveWire lembra a turbina de um caça decolando.


Jaguar E-Type Zero (Foto: divulgação)

Clássico tecnológico

Em 1961, durante o salão de Genebra, o Jaguar e-Type foi chamado pela imprensa especializada de “o carro mais bonito já construído”. Mais de meio século depois, o modelo ainda é considerado uma obra de arte e, não à toa, desde 1996 faz parte do acervo permanente do MoMA (Museum of Modern Art), em Nova York. Você deve se lembrar que depois do casamento real entre Meghan Markle e o príncipe Harry (2018), o casal deixou o Castelo de Windsor a bordo do protótipo da Jaguar, que teve seu motor trocado por um elétrico movido a baterias de lítio, capazes de rodar quase 300 km sem precisarem de recarga. Esse foi o empurrão que faltava para a montadora anunciar que, a partir de 2020, o modelo será lançado no mercado europeu para “possibilitar a satisfação de dirigir um clássico e tecnológico ao mesmo tempo”, afirma Tim Hannig, diretor da divisão Jaguar Land Rover Classic. A estética se manteve intocada, mas o interior recebeu novo painel de instrumentos similar em versão hi-tech. Para o comprador, existe ainda a possibilidade de voltar atrás e reconverter o carro para motor à combustão convencional. Difícil mesmo vai ser decidir entre deixar o carro na garagem ou pendurado na parede.


Ducati Panigale V4 S (Foto: divulgação)

A “Ferrari” das Motos

O apelido nasceu na Itália e acabou virando um adjetivo que explica o DNA para as pistas deste modelo considerado o mais esportivo do mundo. A versão recém-lançada por aqui é um misto de tecnologia, estilo e, principalmente, alta performance: entrega mais de 200 cv de potência em um quadro extremamente leve. A equação resulta em uma moto que parece ter saído das pistas, exigindo arrojo e muita habilidade para ser domada.


Kia HabaNiro Concept (Foto: divulgação)

Visão do amanhã

Carros híbridos e elétricos já são realidade e começam a povoar as ruas e estradas do Brasil. Mas qual será o próximo passo da indústria automotiva? O Kia desenvolvido no estúdio de design da Califórnia já dá alguns indícios das tendências de mobilidade urbana e interação com os carros. O conceito HabaNiro é totalmente elétrico e foi projetado para quatro passageiros enfrentarem o deslocamento diário e até viagens mais longas – possui autonomia para rodar até 480 km sem receber recarga. Tom Kearns, vice-presidente de design da montadora afirma que “suas linhas e medidas incorporam as necessidades de mobilidade, já a sua tecnologia e engenharia antecipam a maneira como as pessoas irão se locomover em um futuro próximo”. Não por acaso, o modelo cria uma nova categoria chamada de “Crossover Elétrico Compacto”. A abertura das portas inspiradas em asas de borboleta revelam bancos que parecem flutuar dentro da cabine e um painel que deve ter saído de algum filme de ficção científica. O motorista recebe todas as informações no para-brisa e nas telas interativas, além de contar com sistema autônomo nível 5, que recolhe o volante e passa a conduzir sozinho até o destino selecionado. Como já anunciava a famosa vinheta de final de ano, “o futuro já começou”.


Suzuki Jimny (Foto: divulgação)

Subindo a montanha com estilo

A nova geração do SUV acabou de ser apresentada no Brasil em três versões entregando praticidade e agilidade para o deslocamento urbano e também resistência e força para encarar off-road. Batizado Jimny Sierra, o 4×4 recebeu novo visual, novas cores e ficou mais confortável e tecnológico, além de ter novo sistema multimídia com Apple Car Play e Android Auto. Subir a montanha nunca foi tão divertido.


Honda Goldwing (Foto: divulgação)

Para longas viagens

Chamada de “Rainha das Estradas”, a nova versão da Goldwing é pensada para quem exige o máximo de conforto sobre duas rodas. Dentro da cidade, a sensação é a de andar com um labrador em uma loja de cristais – ela tem até marcha à ré para tornar a missão mais fácil – mas na estrada, a 120km/h, é possível entender porque ela é referência no segmento. Piloto e garupa não têm do que reclamar mesmo depois de horas de viagem, nem mesmo do frio, já que os bancos possuem sistema de aquecimento.


Audi A7 Sportback (Foto: divulgação)

Entretenimento a bordo

O cupê alemão desembarcou há pouco por aqui e ficou ainda mais elegante do que a versão anterior, com formas e vincos totalmente integrados e aerofólio retrátil. A cabine chama ainda mais atenção graças ao conjunto de três telas de alta definição sensíveis ao toque e ao impressionante sistema de som assinado pela Bang & Olufsen, com 16 alto-falantes com 705 watts de potência.


Lamborghini Urus (Foto: divulgação)

Paleta de cores

O primeiro SUV superesportivo da marca italiana chegou ao Brasil em 2019 para atender a um seleto público que entra na fila de espera a fim de desembolsar 2,4 milhões de reais por um utilitário com cara de mau. Seus números impressionam tanto quanto o preço: 650 cv de potência gerados por um motor 4.0 V8 biturbo capaz de superar os 300 km/h e fazer de zero a 100 km/h em 3,6 segundos. O Urus já corresponde a mais de 80% das vendas da Lamborghini no Brasil e poderia figurar em diferentes categorias desta lista, mas decidimos destacar a paleta de cores “originais de fábrica”. Sim, vamos tentar colorir as cidades que estão com uma frota cada vez mais monocromática, repleta de pretinhos básicos e pratas sem graça. Para isso, o modelo dispõe de cinco cores nada convencionais, entre elas azul royal e “giallo evros”, nossa escolha por evidenciar as linhas agressivas do design exterior da máquina.


Porsche Taycan (Foto: divulgação)

Painel mais sofisticado

O primeiro 100% elétrico da Porsche, além de superesportivo, não abre mão da exclusividade e dos detalhes no acabamento interno. Inspirado no modelo 911 de 1963, tem como filosofia o “back to basics”, ou seja, a elegância está no visual minimalista do painel. O carona também tem sua própria tela, que pode ser configurada sem distrair o motorista. Quase nenhum botão físico pode ser visto já que os comandos são acionados nas superfícies sensíveis ao toque ou pelo controle de voz que responde ao comando “Hey Porsche”.


Volvo XC40 Recharge (Foto: divulgação)

O amigo do meio ambiente

Nos próximos cinco anos, a promessa da Volvo é lançar um novo modelo elétrico a cada 12 meses, para que em 2025 metade da sua frota seja totalmente elétrica. O plano ambicioso começa com a apresentação do XC40 Recharge, que inaugura o novo visual da montadora com grade frontal fechada e oito possibilidades de cores exteriores. Por dentro, a interface foi renovada e chama tanto a atenção quanto os detalhes dos bancos e os tapetes feitos com materiais recicláveis.


Mercedes Maybach Pullman (Foto: divulgação)

O carro para não dirigir

Isso mesmo, você não leu errado. A nova versão da suntuosa limousine da Mercedes pode até ser divertida para quem está atrás do volante, já que ganhou motor biturbo 100 cv mais potente do que a versão anterior, além do novo painel de instrumentos e do pacote tecnológico avançado. Mas os ocupantes que viajam sentados nos bancos traseiros com certeza terão uma experiência digna de chefes de estado. Com 6,5 metros de comprimento e mais de 5 toneladas de peso – graças à blindagem –, encontrar uma vaga será uma missão quase impossível e muito demorada, que os passageiros lá atrás não estarão preocupados. Isso porque eles podem aproveitar os mimos de um dos carros mais luxuosos do mundo: são diferentes configurações e posições dos bancos que podem aquecer, resfriar e fazer massagem. Além do frigobar e acessórios customizáveis que incluem até almofadas personalizadas. Ficou curioso para saber quanto vale viajar nessa 1ª classe? Na Europa, o preço começa em meio milhão de euros.


Triumph Bobber Limited (Foto: divulgação)

Customizada e numerada

Essa máquina cheia de personalidade, limitada a 16 unidades, recebeu uma customização especial da Garagem Shibuya (estúdio em São Paulo, referência na transformação de carros e motos) e foi montada a partir do modelo que já sai da fábrica da Triumph com bastante estilo. Teydi Deguchi, fundador da customizadora, justifica a escolha pela Bobber: “é uma moto com linhas puras, o que deixa o resultado interessante e possui grande aceitação no mercado de customização”. Foram oferecidos três níveis de lifting – básico, intermediário e completo – que, entre outros itens, inclui novo assento de couro marrom, piscas dianteiros e traseiros, bolsa lateral e novas manoplas. Além, é claro, de uma placa numerada de 01 a 16 para autenticar a exclusividade dos modelos. A marca britânica se tornou referência no mercado de motos “personalizáveis” e a prova disso é que todos os itens utilizados na transformação são originais de fábrica e estão disponíveis nas concessionárias. Além de evitar que ela perca as garantias originais, isso possibilita que qualquer consumidor possa deixar sua Bobber ainda mais exclusiva.


McLaren Senna (Foto: divulgação)

Seu destino é acelerar

Serão apenas seis unidades deste superesportivo rodando no Brasil – das 500 que saíram da fábrica e já foram vendidas. Todas elas carregam o sobrenome Senna graças a um acordo feito entre a fabricante e a família do piloto que autorizou a homenagem. Construído em fibra de carbono, como os carros da Fórmula 1, o McLaren vem equipado com motor V8 de 800 cv, capaz de fazer de zero a 100 km/h em 2,8 segundos, atingir impressionantes 340 km/h de velocidade final e tem preço estimado de R$ 8 milhões.

Acompanha tudo de GQ? Agora você pode ler as edições e matérias exclusivas no Globo Mais,o app com conteúdo para todos os momentos do seu dia. Baixe agora!

Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários