Mari Palma é a cara da nova geração do jornalismo – GQ

25

Bastou um minuto para que a jornalista Mari Palma passasse de repórter online a aposta da Globo para o núcleo de esporte. Para sermos justos, um minuto por dia em rede nacional, ao longo dos últimos três anos. Nesse período, quem assistia aos programas matinais Bem-Estar e Encontro com Fátima Bernardes via também uma pílula de notícias transmitidas por Mari no G1 em Um Minuto.

Poderia ter parado por aí, se ela fosse o tipo de repórter que se contenta em ler teleprompter. Não é! Sua personalidade casou perfeitamente com um novo jeito de fazer televisão, mais solto, genuíno e alegre – o mesmo que lançou ao sucesso Tiago Leifert e Fernanda Gentil – e caiu nas graças do público brasileiro.

A emissora optou por transformar Mari na mais nova repórter de esportes da casa. Justo em ano de Copa do Mundo! Que responsa, não? “Sou jornalista há dez anos, mas sempre fui para a rua com olhar de site, agora é TV, é tudo novo. Eu tento não pensar na pressão. O espírito da Copa é de diversão e é isso que eu quero fazer nas minhas reportagens, ser jornalista e torcedora, me divertir e transmitir isso.” Se deu certo em um minuto, tem tudo para dar certo dos 45 à prorrogação.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários