Massagem desportiva: o método capaz de evitar lesões e melhorar o desempenho – GQ

5

Quem pratica algum esporte ou faz exercícios físicos precisa recuperar a musculatura de forma eficaz após cada atividade para obter resultados consideráveis. É normal sentir dores após um treino, corrida ou até mesmo uma competição. O Dr. João Paulo Cortez, ortopedista do Instituto Lerner, explica que a massagem desportiva é uma das técnicas que auxilia na recuperação da musculatura após os treinos, “pois ela estimula a redução das citocinas, que são substâncias inflamatórias produzidas após o exercício”.

Mas vale destacar que alguns cuidados básicos devem ser tomados pelos atletas, sejam eles amadores ou de alto rendimento. Todos precisam de um plano de treino adequado, capaz de aumentar a resistência, velocidade e força. É preciso também atentar-se às rotinas de treino, para não trabalhar os músculos de forma exaustiva e, assim, causar estresse nos tecidos. “A dica mais importante para os atletas é evitar o excesso de treino e a ausência de alongamento, pois no futuro isso pode levar a uma lesão grave”, alerta o ortopedista.

Para o que é a massagem desportiva, o Dr. João Paulo Cortez responde algumas questões:

Quais são os benefícios da massagem desportiva?

Entre os benefícios da massagem desportiva estão o alívio de dores musculares e melhora da fadiga, aumento da flexibilidade e da circulação sanguínea, redução do estresse, prevenção das lesões e a melhora do desempenho do atleta.

Quando ela pode ser feita?

A massagem desportiva pode ser indicada antes de treinos ou competições, com o objetivo de melhorar a performance e a flexibilidade. E também pode ser realizada após atividade física. Neste caso, as lesões musculares causadas no treino são amenizadas, além de acelerar a regeneração do atleta, tonificar o tecido muscular, eliminar as toxinas acumuladas e relaxar a musculatura que foi sobrecarregada.

+ Quais os esportes que mais castigam suas partes baixas
+ 5 percursos de corrida pelo mundo que você precisa conhecer (correndo, claro)

Como é realizada?

A técnica possui uma sequência de manobras de deslizamento, fricção, amassamento, percussão, vibração e movimentação. A forma que as manobras são realizadas e a força utilizada vai depender do objetivo da massagem, pois ela pode ser utilizada para estimular a musculatura, como também para recuperação após o treino. São utilizadas também manobras de alongamentos que auxiliam a promover movimentos.

Há contraindicações?

A técnica é contraindicada em casos de lesões agudas, doenças cutâneas, hipersensibilidade ou aversão ao toque, febre, infecções, tumores e TVP (trombose venosa profunda).

Quantas vezes o atleta pode fazer?

Durante a semana o ideal é fazer de uma a duas vezes, intercalando os dias.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários