Megaleilão das obras de artes de David Rockefeller nem terminou e já bateu recordes multimilionários – Notas – Glamurama

4

“Garota com Cesto de Flores”, de Picasso, no momento dos lances || Créditos: Reprodução

Classificada pela imprensa especializada como “o leilão do ano”, a venda no martelo da coleção de obras de arte que pertenceu ao bilionário americano David Rockefeller começou batendo recordes – sete, para ser exato – que surpreenderam até os “connoisseurs” mais otimistas. Organizado pela Christie’s de Nova York, o leilão teve início
na noite dessa terça-feira e será encerrado nesta sexta.

Antes do início dos lances, todos acreditavam que o quadro “Garota com Cesto de Flores”, assinado por Pablo Picasso, seria o mais disputado. Mas a tela acabou sendo arrematada em meros dois minutos por US$ 115 milhões (R$ 413,4 milhões), o segundo maior valor já pago por um trabalho do artista espanhol (nesse caso o recorde é de “As Mulheres de Argel (Versão ‘O’), vendida há três anos por US$ 179,4 milhões/R$ 644,9 milhões).

A grande estrela do leilão até agora foi “Ninfeias em Flor”, de Claude Monet, que trocou de dono por US$ 84,7 milhões (R$ 304,5 milhões) depois de 14 minutos de lances quase ininterruptos. Outros quadros do francês arrecadaram US$ 64 milhões (R$ 230,1 milhões), enquanto o Matisse “Odalisca Deitada com Magnólias” foi vendido por US$ 80,75 milhões (R$ 290,3 milhões), um recorde para o gênio pós-impressionista francês.

Apenas na primeira noite, o valor total arrecadado bateu em US$ 646 milhões (R$ 2,32 bilhões), deixando os US$ 484 milhões (R$ 1,74 bilhão) registrados no leilão da coleção de Yves Saint Laurent, em 2009. Rockefeller, que morreu há pouco mais de um ano, tinha objetos de arte cuja soma ultrapassa o US$ 1 bilhão (R$ 3,6 bilhões), portanto as próximas fases do megaleilão também prometem. (Por Anderson Antunes)

Fonte oficial: Glamurama

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários