No aniversário de Zuckerberg, 5 “técnicas de sobrevivência” do bilionário para lidar com adversidades – Notas – Glamurama – Glamurama

8

Mark Zuckerberg || Créditos: Getty Images

Já dá pra dizer que Mark Zuckerberg superou sem maiores problemas o maior desafio de sua vida empresarial até hoje: o escândalo #FaceLeaks, que estourou em março diante da revelação de que dados de mais de 87 milhões de usuários do Facebook foram compartilhados – sem o conhecimento deles – com a consultoria britânica Cambridge Analytica, cuja falência foi decretada recentemente. Cofundador do site de relacionamentos, o próprio bilionário afirma ter sido uma das vítimas do vazamento, que ocorreu durante a campanha de Donald Trump à Casa Branca, em 2016.

Aniversariante desta segunda-feira, dia em que completa 34 anos de vida, Zuck pode ser considerado como um case único de sucesso empresarial com uma capacidade fora do comum de emergir ainda mais forte de situações difíceis, talvez por estar sempre preparado para o pior (apesar de jamais deixar de focar no objetivo que considerar o melhor e, é claro, mais lucrativo).

Dono de uma fortuna estimada em US$ 74 bilhões (R$ 265,1 bilhões) que o torna o quinto homem mais rico do mundo, o marido de Priscilla Chan e pai de Maxima e August Chan Zuckerberg até agora tem se saído bem dessas adversidades, e a seguir a gente lista 5 “técnicas de sobrevivência” que ele usa para evitar o fracasso. Continua lendo…

Uniforme: calça jeans, camiseta e tênis || Créditos: Getty Images

Menos é mais

Zuck não curte perder tempo com coisas pequenas ou certos luxos que possivelmente o distraiam. O maior exemplo disso é o fato de que o bilionário criou seu próprio look: calça jeans, camiseta e tênis esportivo. Em entrevistas, ele já disse que dessa forma começa o dia com uma decisão já previamente tomada e com isso deixar de perder tempo escolhendo o que vestir. Como ninguém é de ferro, a T-shirt de todo dia também não é uma qualquer: trata-se de um modelo da marca italiana Brunello Cucinelli que custa entre US$ 300 (R$ 1.075) e US$ 400 (R$ 1.433).

US$ 24 bi? Não, obrigado. || Créditos: Getty Images

Dinheiro não é tudo

Dizem que existem dois tipos de empreendedores: aqueles que querem simplesmente enriquecer e aqueles que, além do dinheiro, buscam também poder. Zuck pertence a esse último grupo, e o fato de que no passado recusou várias ofertas para vender o Face que evidenciou esse lado mais frio dele. A antiga News Corporation, o MySpace, a Viacom, o Yahoo!, o Google e a Microsoft todas tentaram arrematar o site em seus primeiros anos sem o menor sucesso. No caso da última, que o procurou em mais de uma ocasião, ele disse “NÃO!” para US$ 24 bilhões (R$ 86 bilhões) em grana viva.

Einstein e Picasso são dois dos ídolos do bilionário || Créditos: Getty Images

Inspiração genial

Todo mundo tem seus ídolos, e no caso de Zuck são dois: Albert Einstein e Pablo Picasso. Embora admire megaempresários que fizeram história como Bill Gates e Steve Jobs, é nas trajetórias do físico alemão e do pintor espanhol, dois gênios que sempre enfrentaram enormes problemas em suas vidas, que Zuck busca inspiração. Aliás, ele lista uma frase de Einstein e outra de Picasso como suas favoritas na página que mantém no Face: “Faça as coisas da maneira mais simples que puder, porém não as mais simples” e “Todas as crianças são artistas. O problema é como se manter um artista depois de crescer”, respectivamente.

Não dá pra brincar com essas coisas || Créditos: Getty Images

Foco na segurança pessoal

Como um dos bilionários mais famosos e polêmicos do momento, Zuck não brinca em serviço quando o assunto é segurança pessoal. Por ano, ele gasta mais de US$ 7 milhões (R$ 25,1 milhões) para cuidar da própria integridade física e também de seus familiares. E isso sem contar as dezenas de milhões que ele investiu nos últimos anos para comprar as casas de seus vizinhos em Palo Alto, na Califórnia, a fim de garantir mais privacidade, e uma ilha no Havaí pela qual desembolsou US$ 100 milhões (R$ 358,3 milhões) só para ter onde se abrigar no caso de um apocalipse global.

Zuckerberg com Andy Samberg || Créditos: Getty Images

Rir (de si mesmo) é o melhor remédio

Talvez por ser bastante jovem ainda, Zuck não se leva muito a sério e faz isso de propósito, já que do contrário acredita que estaria criando uma preocupação desnecessária. O bilionário é conhecido nos corredores do Facebook pelo bom humor, por vezes um pouco estranho, mas eficaz na hora de socializar com os subordinados – a maioria é fã dele. Ele também já elogiou publicamente Andy Samberg, que o imitava na televisão no “Saturday Night Live”, e até deu pinta em um episódio de 2011 do humorístico apresentado por Jesse Eisenberg, que foi o Mark Zuckerberg da telona em “A Rede Social”. (Por Anderson Antunes)

Fonte oficial: Glamurama

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários