Nova York tem um novo Rockefelller Center: o Hudson Yards – GQ

10
Hudson Yards em Nova Iorque (Foto: Reprodução: Instagram)

É inaugurado nesta sexta-feira (15) o maior empreendimento imobiliário erguido em Nova York desde o Rockefeller Center : o Hudson Yards. Depois de uma década em construção, pelo custo de US$ 25 milhões para as incorporadoras Related Companies e Oxford Properties, o local, que contempla torres residenciais e escritórios, além de centro cultural, shopping center e restaurantes, finalmente está pronto.

Com apartamentos para os muito ricos e espaço democrático na parte de baixo, o Hudson Yards fica colado ao High Line, parque suspenso hipster da cidade. 

+ Vestir chinelos em Cinque Terre, na Itália, pode render multa de R$ 10 mil
+ 5 destinos incríveis para ver a aurora boreal

A grande atração está na praça central, a Vessel. Assinada pelo designer britânico Thomas Heatherwick, é uma arca gigantesca com 154 lances de escada e 2.500 degraus com vista para o rio Hudson.

Vessel: arca gigantesca conta com 154 lances de escada e 2.500 degraus; assinada pelo designer britânico Thomas Heartherwick  (Foto: Foto: Divulgação)

E, para quem se interessa em morar por lá, é bom começar a economizar. Os apartamentos maiores custam entre US$ 4 e 32 milhões. Para alugar um estúdio, a despesa é de US$ 5.200 mensais.

Fifteen Hudson Yards (Foto: Foto: Divulgação)

A torre principal, o 30 Hudson Yards, é o terceiro prédio mais alto da cidade, com 101 andares e um observatório na forma de um deck suspenso no ar. No shopping de sete andares são mais de 100 lojas e a praças de alimentação é das mais sofisticadas do mundo: são mais de 20 bares e restaurantes comandados por chefes renomados como Thomas Keller, David Chang e Michael Lomonaco, sem contar com o Little Spain, primeira empreitada do chef espanhol José Andrés na cidade

Mas nem tudo são flores. O Hudson já nasce em meio a uma polêmica. O New York Times diz que os US$ 3 bilhões em tax breaks que a Amazon exigia para instalar sua sede na cidade eram troco perto do empreendimento, que foi viabilizado com o auxílio da prefeitura, que teve mais gastos como: US$ 2,4 bilhões para levar o metrô até a região e US$ 1,2 bilhão para construção de parques e incentivos fiscais para sedes corporativas. 

A Related também teve de fazer concessões em relação ao projeto inicial. A incorporadora terá de abrigar uma escola pública e reservar 10% das quatro mil unidades residenciais para um programa de moradia popular da cidade.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários