Nutricionista das famosas explica os benefícios da dieta flexitariana. Vem saber! – Beleza – Glamurama

6

Variedade de alimentos da dieta flexitarianismo || Créditos: iStock

Alimentação é tema onipresente na vida das pessoas e ganha cada vez mais força. As descobertas e alertas divulgados quase que diariamente mudam os conceitos e, de uma hora pra outra, o que era certo passa a ser condenado e vice-versa. O assunto em pauta no consultório de Patrícia Davidson, nutricionista das mais concorrida entre as famosas e com lista de espera que chega a meses, é o flexitarianismo. Na dieta, a indicação é reduzir o consumo de alimentos de origem animal, mas sem a exclusão completa deles. Este controle é recomendado para que haja uma redução na ingestão de gorduras nocivas ao organismo. Parece simples, mas o buraco é mais embaixo.

Apesar de alertar que a frequência de consumo de proteína animal deve ser definida para cada pessoa, levando em consideração características metabólicas e objetivos individuais, a nutricionista explica que, estudos americanos, apontam que para ser considerado flexitariano, a proteína animal deve ser ingerida três vezes por semana.

As vantagens em adotá-la são bastante atraentes, segundo Patrícia:

– Controla o consumo excessivo de proteínas de origem animal e consequentemente a ingestão de gorduras nocivas ao organismo.
– Potencializa a obtenção de nutrientes variados e novas fontes alimentares por conta do rodízio alimentar.
– Aumenta o consumo de frutas, legumes e verduras, reduzindo compulsão alimentar e consequentemente perda de peso.
– Por reduzir o consumo de gorduras ruins, melhoramos sono, cansaço, ansiedade e até mesmo distensão abdominal.
– Promove um consumo consciente, contribuindo para a redução do impacto ambiental.

Aos que desejam praticar, Patrícia avisa: “O peixe pode ser consumido com mais frequência que as demais proteínas por possuir um teor de gordura reduzido, o que favorece o processo digestivo e equilíbrio metabólico.”

FLEXITARIANISMO X VEGETARIANISMO 

“Comparada a uma dieta vegetariana restrita, o flexitarianismo sai na frente, pois consegue mesclar melhor as opções. Além disso, é comum pessoas que se tornaram vegetarianas passarem a consumir carboidratos em excesso, o que pode prejudicar a composição corporal. Entretanto, as duas dietas feitas de forma correta e com acompanhamento nutricional adequado trazem inúmeros benefícios”, recomenda a nutricionista.

Entre as adeptas da dieta atendidas por Patricia Davidson está Mariana Rios, sua cliente desde 2015 e que sempre prezou por uma alimentação com base vegetariana. “Quando conseguimos mesclar nossa alimentação, aumentamos a quantidade de nutrientes essenciais para a síntese de músculos e consequentemente perda de gordura, logo meu foco com Mariana foi reorganizar as opções para melhorar a composição corporal.” Deu certo, né?

Fonte oficial: Glamurama

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários