O guia GQ para comprar um smartwatch – GQ

14

Quer um sinal de que o futuro chegou? Wearables estão entre nós há tanto tempo que já tem histórias de fracassos (como o Google Glass) e ideias insistentes tentando retornar aos corações dos consumidores (vide óculos de realidade virutal como HTC Vive e Oculus Rift). Há também a peça-chave da tecnologia: o smartwatch. Este não vai embora tão cedo: há os modelos que apelam para os mais techies entre nós, como o Apple Watch e o Samsung Gear, mas também marcas de luxo e performance, como Montblanc e Garmin, trazendo soluções alternativas.

Comprar um wearable ainda é jogar com um conjunto de fatores e limitações. Abaixo organizamos um guia prático para te ajudar na hora de ir atrás de um:

De olho na compatibilidade

Não é regra geral, mas a maioria dos modelos só funcionam se estiverem conectados ao seu smartphone. O Apple Watches Series 3 e Series 4, além do Samsumg Gear S3, vão na contramão disso. De resto, pense no seu relógio inteligente como uma ponte para seu celular sem que você precise tirá-lo do bolso. É uma ferramenta para agilizar sua checagem de emails, apps de mensagem instantânea como o Messenger e WhatsApp, além de uma janela para o Waze, Google Maps e afins.

Por isso, mais importante do que saber que apps ele tem, ou mesmo a vida útil da bateria, é descobrir se ele é compatível com seu celular. Na hora de comprar, é mais fácil pensar não no modelo específico do smartwatch, mas sim qual seu sistema operacional.

O Apple Watch funciona através do WatchOS, que conversa apenas com dispositivos iOS. O Wear OS, do Google, é o segundo mais fácil de entender: há um site útil que te mostra se seu celular funciona com relógios compatíveis (basta abrí-lo no browser do seu smartphone). O terceiro dos grandes sistemas operacionais no mercado de wearables é o Tizen, que move principalmente a linha Samsung Gear. Como o Wear OS, ele funciona com celulares munidos Android 4.4 (ou superior) e também iOS, mas com menos funções disponíveis neste caso – o Tizen, inclusive, traz vantagens quando usado com um aparelho Samsung.

Em resumo: olhe qual sistema operacional alimenta o relógio que te interessa, e compre apenas depois de confirmar a compatibilidade com seu smartphone.

smartwatch  (Foto: Divulgação)

Um smartwatch é feito para te acompanhar no dia a dia, então ter uma boa bateria é bem necessário. Via de regra, os campeões em autonomia são aqueles relógios mistos, que lembram modelos analógicos. Estes aguentam mais tempo sem precisarem ser plugados no carregador, mas não contam com touchscreen – você interage através de botões. 

No caso de modelos mais modernosos, a vasta maioria ainda exige uma recarga a cada 1 ou 2 dias. Trocando em miúdos, eles não vão te deixar na mão no decorrer da sua rotina, mas, assim como seu smartphone, vão precisar daquela carguinha noturna com frequência.

+ O futuro do fitness já está entre nós
+ Cinco aplicativos para manter o ‘projeto verão’ vivo

Fique de olho em novos modelos da Fossil, Louis Vuitton e Montblanc, que trabalharão com um novo chip capaz de fazer a bateria durar até uma semana através de uma gestão inteligente de energia.

Esta dica soa simples, mas smartwatches são aparelhos meio fora do comum. Um exemplo: falamos acima de wearables com botões no lugar de displays que respondem ao toque. Eles podem parecer antiquados, não? Mas a tela diminuta de um smartwatch significa que é necessário precisão para acessar aplicativos ou realizar funções, e gestos no touchscreen ainda são meio difíceis de usar seja qual modelo você for atrás. Botões podem ser maneiras mais simples de interagir com seu aparelho. Cada um é cada um, claro, então é bom testar alguns numa loja oficial Samsung ou Apple só para ter uma ideia do que te espera.

Como falamos, o Apple Watch Series 3, Series 4, e o Samsumg Gear S3 funcionam sem precisarem se comunicar com o celular, mas para tal precisam de um plano específico de dados. No Brasil, a Claro já oferece soluções de eSIM que funcionam com os dispositivos Apple, enquanto a Vivo tem planos 4G lançados em 2018 compatíveis com o Gear. Em ambos os casos, seu número do celular é o mesmo do relógio – informação útil caso você deseje realizar ligações de seu smartwatch. Só fica esperto: telefonar de seu relógio é função que diminui bastante a duração da bateria.

Bom, essa é uma resposta que não conseguimos te dar de bandeja, mas certamente uma pergunta que você tem que fazer a si mesmo. Limitações em poder de processamento e armazenamento geralmente significam que cada relógio atende a um uso específico. O Montblanc Summit 2, por exemplo, tem funções ideias para quem viaja muito de avião. Os Fitibits são maquininhas enxutas para ajudar na sua rotina física. E a coisa vai mesmo por esse lado. 

+ 4 caixas de som perfeitas para festas na piscina
+ Lista GQ: 10 gadgets para todo tipo de viajante

É bom também ficar de olho no que vem embutido no relógio. Dispositivos Wear OS e os Apple Watch têm todos medidores de frequência cardíaca inclusos. Alguns modelos também contam com GPS interno, sem necessitar da ajuda do smartphone. Estas facilidades fazem a diferença no uso do dispositivo em caminhadas, corridas, pedaladas e afins.

Com tudo isso em mente, segue uma relação rápida de alguns dos melhores relógios no mercado. Podem te inspirar ou servir como bons exemplos do que procurar:

Apple Watch Series 4

smartwatch (Foto: Divulgação)

Este é o relógio que chama uma ambulância caso você tome um tombo particularmente feio. Fora isso, o Series 4 é também o creme de la creme dos smartwatches Apple, com GPS embutido, uma versão ‘+Cellular’ capaz de funcionar sem o smartphone e bateria que aaguenta 18 horas de uso intenso. É também um ‘parça’ para sua saúde, completo até com uma coroa capaz de realizar um cardiograma. Finalmente, também é um modelo bem customizável: a caixa vem em dois tamanhos e cores variadas. A Apple também vende uma gama de pulseiras compatíveis, algumas inclusive assinadas pela Hérmes. Sistema: WatchOS Preço: a partir de R$ 3.999

Fitbit Versa

smartwatch (Foto: Divulgação)

Se sua pilha é exercício físico, o Versa é um baita smartwatch. Primeiros por motivos mais óbvios: ele mapeia automaticamente dados de seu exercício assim que você começa a realizá-lo, exibe informações em tempo real, salva rotinas e até oferece exercícios customizados – tudo com uma bateria que aguenta até 4 dias. Mas ele também oferece espaço para guardar até 300 músicas para acompanhar sua corrida. Sistema: FitbitOS (compatível com iOS, Android e Windows Phone) Preço: US$ 199,95

Garmin Fenix 5S Plus

smartwatch (Foto: Divulgação)

Agora se o chamado da aventura é o que te atrai, o Fênix 5S pode ser mais sua pegada. Sensores de navegação integrados incluem uma bússola de três eixos, giroscópio e altímetro barométrico, bem como capacidade de rede multisatélite (GPS, GLONASS e Galileo) para rastrear em ambientes mais desafiadores do que somente o GPS, fazendo-o um bom acessório para áreas mais remotas. De resto, ele lembra o Versa: são 4 horas de uso intenso, espaço para mais de 500 músicas e conectividade com fones de ouvido bluetooth. Como a Apple, a Garmin conta com uma loja de diversos itens customizáveis para o aparelho. Sistema: compatível com dispositivos Android 4.4, iOS 10.0 ou mais recentes Preço: a partir de R$ 3.090

Samsung Gear S3 Frontier

smartwatch (Foto: Divulgação)

O Samsung Gear S3 Frontier é uma solução holística para quem busca qualidade de ponta e bom preço. O ecossistema de apps sofre um pouco com relação aos seus adversários, e ele é o terror de pulsos mais finos, mas de resto é uma máquina versátil, com versão para usar sem celular e tela super colorida. É resistente também, munido de Gorilla Glass e capaz de aguentar mergulhos de até 1,5 metros. E lembra que falamos do jeito como interagir com seu relógio? Este Gear oferece uma coroa móvel, que você roda para navegar entre aplicativos. Sistema: Tizen Preço: R$ 1.799,00

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários