Os tênis da semana: modelos básicos para ninguém botar defeito – GQ

5

No mês em que revelamos a nossa seleção dos 25 caras mais elegantes do Brasil, é inevitável se perguntar: o que é ser elegante? Como a maioria deles disse algo como “ser básico”, aqui vai a seleção dos melhores tênis lançados nesta semana: os básicos mais estilosos do momento.

+ Nike inspirado no Seattle SuperSonics é nostalgia em forma de tênis
+ Essa parceria entre Nike e Kendrick Lamar vai além da estética

O caçula

O Fiever X (Foto: Divulgação)

Marca mais jovem do Grupo Arezzo de Alexandre Birman, a Fiever agora é também a primeira a ter, permanentemente, uma coleção masculina. O modelo que celebra a iniciativa é o Fiever X, bem urbano e seguindo as tendências: knit, couro e latex.

Por R$ 358 nas lojas de São Paulo e do Rio de Janeiro e no site da Fiever

O sustentável

O Superlight da Osklen (Foto: Divulgação)

Se o básico também é leve, o Superlight da Osklen pode ser uma boa escolha. Feito em neoprene, o modelo é reciclável, resistente à água e não deixa passar o frio. Destaque para o solado, feito em EVA, que pesa menos da metade que a sola tradicional de borracha.

Por R$ 397 nas lojas e no site da Osklen.

O retrô

O Vans Paradoxx Black/Gum (Foto: Divulgação)

O Paradoxxx foi lançado pela Vans há alguns meses, mas só agora o modelo retrô ganhou uma versão “Black / Gum” bem básica e estilosa. O logotipo Flying V original da Vans bordado nas laterais dá um charme especial.

Por US$ 75 em lojas selecionadas da Vans nos EUA.

O esportivo

O Nike x NBA Bruin Zoom  (Foto: Divulgação)

A Nike SB, divisão de skate da gigante do sportswear, resolveu se aproximar mais da NBA e o resultado dessa parceria foram três novas versões de modelos SB clássicos: Dunk, Blazer e Bruin. Com direito a muito cetim, camurça e couro – além, claro, da icônica figura de Jerry West.

Por valor ainda não divulgado em lojas selecionadas e no site da Nike.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários