Oscar 2019: saiba o que de melhor aconteceu na premiação – GQ

16

A noite do Oscar 2019 teve tudo o que manda a tradição: elegância, bom humor e polêmicas. Quem passou pelo Dolby Theatre, em Los Angeles, neste domingo (24) trouxe brilho para a cerimônia e deu mais razões para o público resistir ao sono e acompanhar os ganhadores da premiação mais importante do cinema até o último prêmio.

No campo da moda, a diversidade tomou conta do tapete vermelho. A começar por Billy Porter. Um dos primeiros a chegar, o ator surpreendeu ao apostar em um look andrógino que pode ser definido como uma mistura entre smoking e vestido de gala. Um dos grandes personagens da noite, como mostra a nossa galeria de mais bem vestidos.

Quanto às estatuetas, o maior vencedor da noite foi Bohemian Rhapsody, com quatro estatuetas, sendo seguido por Pantera Negra e Roma, com três. Surprreendendo a muitos, Green Book, de Peter Farrelly, faturou a estatueta de Melhor Filme, o prêmio mais importante da noite.

+ 5 filmes para entender Alfonso Cuáron, favorito no Oscar
+ 4 vezes em que artistas se manifestaram durante festivais de cinema

O grande discurso foi de Spike Lee. Ao receber a sua primeira estatueta da carreira, pelo roteiro adaptado de Infiltrado na Klan, ele disse: “Hoje é 24 de fevereiro, o mês mais curto do ano. Também é o mês do ano da história negra. 1619… Há 400 anos nós fomos roubados da África e trazidos para a Virginia, escravizados. A minha avó, que viveu até 100 anos de idade, apesar de sua mãe ter sido escrava, conseguiu se formar. Ela viveu anos com seu seguro social, e conseguiu me levar para a universidade NYU”, disse.

Spike Lee no palco do Oscar 2019 (Foto: Getty Images)

Lee continuou: “Diante do mundo, eu gostaria de reverenciar os ancestrais que construíram esse país, e também os que sofreram genocídios. Os ancestrais que vão ajudar a voltarmos a ganhar nossa humanidade. As eleições de 2020 estão chegando, vamos pensar nisso. Camos nos mobilizar, estar do lado certo da história. É uma escolha moral. Do amor sobre ódio. Vamos fazer a coisa certa.”

Confira abaixo a relação completa de ganhadores:

Melhor Atriz Coadjuvante: Regina King, Se a Rua Beale Falasse
Melhor Documentário: Free Solo
Melhor Maquiagem/Penteado: Greg Cannom, Kate Biscoe e Patricia Dehaney, por Vice
Melhor Figurino: Ruth E. Carter, por Pantera Negra
Melhor Direção de Arte: Hannah Beachler e Jay Hart, por Pantera Negra
Melhor Fotografia: Alfonso Cuáron, por Roma
Melhor Edição de Som: Nina Hartstone e John Warhurst, por Bohemian Rhapsody
Melhor Mixagem de Som: Paul Massey, Tim Cavagin e John Casali, por Bohemian Rhapsody
Melhor Filme Estrangeiro: Roma
Melhor Montagem: John Ottman, por Bohemian Rhapsody
Melhor Ator Coadjuvante:  Mahershala Ali, por Green Book – O Guia
Melhor Filme de Animação: Homem-Aranha no Aranhaverso
Melhor Animação em Curta-Metragem: Bao
Melhor Documentário em Curta-Metragem: Absorvendo o Tabu
Melhores Efeitos Visuais: Paul Lambert, Ian Hunter, Tristan Myles e J.D. Schwalm, por O Primeiro Homem
Melhor Curta-Metragem: Skin
Melhor Roteiro Original: Peter Farrelly, Nick Vallelonga e Brian Hayes Currie, por Green Book – O Guia
Melhor Roteiro Adaptado: Spike Lee, David Rabinowitz, Charlie Wachtel e Kevin Willmott, por Infiltrado na Klan
Melhor Trilha Sonora Original: Ludwig Göransson, por Pantera Negra
Melhor Canção Original: Shallow, de Lady Gaga, Mark Ronson, Anthony Rossomando e Andrew Wyatt, de Nasce Uma Estrela
Melhor Ator: Rami Malek, por Bohemian Rhapsody
Melhor Atriz: Olivia Colman, por A Favorita
Melhor Direção: Alfonso Cuáron, por Roma
Melhor Filme: Green Book
 

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários