Para Luísa Sonza, “a carreira é feita de trabalho, dedicação e paciência” – GQ

0
Músico (Foto: Divulgação)

Luísa Sonza é o nome da música pop que estourou em 2018. O hit Devagarinho já chegou aos 42 milhões de visualizações no Youtube. E bem rapidinho o novo single Boa Menina, com menos de 15 dias, já bateu 11 milhões de visualizações. As batidas da cantora grudam na mente e recomendamos que você a conheça, pois Luísa é uma das 30 personalidades do #GQVozes de novembro:

+ Duda Beat transforma coração partido em música (e te leva para a pista de dança)
+ ‘Escrevi muitas músicas de dor de cotovelo’, diz Tim Bernardes
+ Para Loro Bardot, tocar nas rádios é ‘sonho de princesa’

Disco, digital, YouTube ou show?
Pode responder tudo (risos)? Acho que cada um tem sua importância no cenário da música.  No show, sinto a interatividade, a troca de energia e encanto com o público. No digital, seja nas plataformas de streaming ou Youtube, consigo uma maior propagação das músicas, tornando-as acessíveis ao público. Já o disco envolve nosso trabalho, dedicação e esforços para levar música para as pessoas. 

Música que você está ouvindo agora?
Qualquer uma do novo álbum da Nicki Minaj. Estou viciada!

O featuring perfeito com você seria com quem?
Tenho tantos ídolos, que é difícil escolher apenas um. Acho que posso falar da Pabllo (Vittar), uma amiga e inspiração na minha carreira. Quem sabe não fazemos algo juntas?

Um look ideal pra show seria?
O que transmite a mensagem que você quer passar e o que mostra quem você é. Além disso, precisa ser confortável e prático por conta dos movimentos de dança.

Sua vida é um Instagram aberto?
Não. Apesar de mostrar grande parte do meu dia nas redes, há momentos que não mostro ao público, que são reservados, meus e únicos. Acho importante termos esse espaço, por mais que sejamos figuras públicas.

Pagaria para tocar nas rádios ou pagaria para ter mais seguidores?
Não pagaria. Deixo as coisas seguirem seu curso normal, sem pressa. A carreira é feita de construção, trabalho, dedicação e paciência. Sou da seguinte bandeira: tudo acontece no momento certo.

Já escreveu música pra conquistar alguém? Deu certo?
Não escrevi para conquistar ninguém, mas fiz Olhos Castanhos para o Whindersson para mostrar o amor que sinto por ele. 

Um disco clássico?
Um disco clássico é Yellow Submarine, do The Beatles. Levo como inspiração pela revolução que eles fizeram na época.

Uma música pra cantar no banho?
Uma que canto sempre: Como Nossos Pais, da Elis Regina.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários