Para Nego Bala, água sem gelo, microfone bom e uma banda pesada são essenciais para o show perfeito – GQ

7

Nego Bala tem o rap e a rima crua que usou para contar sua história. E tem em Freguês da Meia-Noite, do Criolo, o som que fez entender que a música era sua escolha. Seu primeiro single é Buraco no Céu. nego Bala é uma das 30 personalidaes do GQ Vozes de novembro. Conheça o artista abaixo:

+ “A música me deixou mais forte, mais humano”, reconhece Nego Bala
+ Projeto GQ Vozes vira série de pocket shows a partir desta quinta

Disco, digital, YouTube ou show?
Os quatro. Um complementa o outro. Apesar que, na ordem dos trampos que estamos realizando, ainda não tem espaço para encaixar um disco. Mas conforme vá evoluindo, pode ser que essa ideia surja num contexto mais bem elaborado.

Música que você está ouvindo agora?
No estúdio posso utilizar os equipamentos de gravação para produzir algumas idEias. E agora está rolando uma oportunidade de realizar o sonho do meu pai, que é gravar as canções dele também. Estou ouvindo direto o som dele. Fora as músicas do meu pai tem o trampo da rapaziada do estúdio, Léo Correa, nosso maestro, arranjador, Dubalizer, na bala das nossas mix e master, Koba moleque zika na rima, Noemi (Noite), excelente cantora, o produtor Café, paizão dos bit´s,  Dj Gordinho nosso professor do Funk, o Taylon, meu irmão de coração, somo muito comigo na construção da minha identidade musical. Fora os trampos da casa, estou ouvindo muito Djavan, o cara manda muito bem, exemplo.

O featuring perfeito com você seria com quem?
Yuri Martins, Ganja Man, Perera, Zegon, Jorginho. Seria uma grande honra ter uma produção de algum deles no meu trampo.

Um look ideal pra show seria?
Uma roupa confortável, água “sem gelo”, uma equipe profissa, sonoridade boa batendo nas p.a´s, dj firmeza soltando os bit´s, uma banda pesada fazendo acontecer. E um bom microfone na mão. Esse é o look perfeito!

Sua vida é um Instagram aberto?
Meu trabalho, minha arte, sim. Quero deixar o público o mais perto possível da forma como eu crio, da rotina do estúdio e da produção. Agora, tem coisas do meu dia a dia que diz respeito ao Marcelo, e não ao Nego Bala. Aí, eu acho bom separar.

Pagaria para tocar nas rádios ou pagaria para ter mais seguidores?
Eu pagaria para ampliar a qualidade do meu trampo. Acho que isso é que está diretamente relacionada a um bom desempenho nas rádios e nas redes sociais. Esse lance de pagar para tocar ou ser seguido pode ser uma armadilha, mesmo porque não trampo pelo sucesso e, sim, pelo bom resultado de uma parada que gosto de fazer.

Já escreveu música pra conquistar alguém? Deu certo?
Já sim, sempre dá. Fazia isso com mais frequência, hoje eu estou mais devagar. Arte é amor.

Um disco clássico? Um guilty pleasure?
Bebeto – Samba Rock é um clássico que sempre ouço. É o tipo de som que só dá para ouvir no fone. Se colocar na quebrada, a galera reclama e diz que é cafona.

Uma música pra cantar no banho?
Uma só? Se deixa, o repertório vai longe… Anjo é uma música que estamos produzindo, tenho treinado bastante ela no chuveiro.

Qual o verso mais sexy de todos os tempos?
Não lembro de nada que tenha despertado tanta atenção. Gosto das músicas da Sade. Eu não entendo nada do que ela fala, mas sei que é sexy. Vou tentar prestar mais atenção na cena sexy musical para não passar em branco da próxima vez que você perguntar.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários