“Parasite”, de Bong Joon Ho, é o vencedor da Palma de Ouro – GQ

10

A premiação Palma de Ouro, realizada durante o Festival de Cannes, aconteceu neste sábado (25). “Parasite”, de Bong Joon Ho, da Coreia do Sul, levou a escultura para casa.

Bacurau, de Kleber Mendonça, levo o Prêmio do Júri, honraria concecida para um filme que é particularmente apreciado pelo júri. “Tenho vindo ao Festival de Cannes há 20 anos, inicialmente como jornalista e crítico. Vocês podem imaginar como é estar aqui para mim, num ano com uma seleção tão boa em competição”, disse Mendonça à GQ Brasil direto de Cannes. “Somos embaixadores da cultura e precisamos de apoio e respeito.”

O brasileiro Kleber Mendonça Filho, que já foi para Cannes com longa Aquarius, em 2016, concorreu pela segunda vez, agora com o filme Bacurau.

CANNES, FRANCE - MAY 25: Bong Joon-Ho celebrates after receiving the Palme d'Or award for the film "Parasite" at the Closing Ceremony during the 72nd annual Cannes Film Festival on May 25, 2019 in Cannes, France. (Photo by Pascal Le Segretain/Getty Images (Foto: Getty Images)
CANNES, FRANCE - MAY 25: Director Bong Joon-Ho (L) reacts after winning the Palme d'Or award for "Parasite" during the Closing Ceremony of the 72nd annual Cannes Film Festival on May 25, 2019 in Cannes, France. (Photo by Pascal Le Segretain/Getty Images) (Foto: Getty Images)

Confira abaixo os indicados deste ano:

– “The Dead Don’t Die”, de Jim Jarmusch (Estados Unidos), na abertura

– “Dolor y gloria”, de Pedro Almodóvar (Espanha)

– “O traidor”, de Marco Bellocchio (Itália)

– “The Wild Goose Lake”, de Diao Yinan (China)

– “Parasite”, de Bong Joon Ho (Coreia do Sul)

– “Le jeune Ahmed”, de Jean-Pierre e Luc Dardenne (Bélgica)

– “Roubaix, une lumière”, de Arnaud Desplechin (França)

– “Onde Upon a Time In…Hollywood”, de Quentin Tarantino (Estados Unidos)

– “Atlantic”, de Mati Diop (França/Senegal)

– “Mektoub, my love: Intermezzo”, de Abdellatif Kechiche (França)

– “Matthias & Maxime” de Xavier Dolan (Canadá)

– “Little Joe”, de Jessica Hausner (Áustria)

– “Sorry we missed you”, de Ken Loach (Grã-Bretanha)

– “Les Misérables”, de Ladj Ly (França)

– “A hidden life”, de Terrence Malick (Estados Unidos)

– “Bacurau”, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles (Brasil)

– “The Gomera” (The Whistlers), de Corneliu Porumboiu (Romênia)

– “Frankie”, de Ira Sachs (Estados Unidos)

– “Portrait de la jeune fille en feu”, de Céline Sciamma (França)

– “It must be heaven”, do palestino Elia Suleiman

– “Sibyl”, de Justine Triet (França)

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários