Paulo Leal recorda sua primeira novela em Angola – GQ

6

Paulo Leal (Foto: Jennifer Liu / Divulgação)

A estreia televisiva de Paulo Leal aconteceu em Angola na novela Minha Terra, Minha Mãe em 2009; nas telas brasileiras, seu debut se deu em Tempos Modernos (2010), como o Raulzão. Anos depois, ele coleciona papeis. Suas incursões televisivas mais recentes aconteceram nas séries Super Max e Os Dias Eram Assim; atualmente, ele está no ar na macrossérie Jezabel.

+ Grávida, Graziela Schmitt relembra trajetória na TV: “Comecei a trabalhar aos 13 anos”
+ Um papo sobre novas famílias e licença-paternidade com Leandro Zioto
+ Paternidade está redefinindo a masculinidade, diz estudo

O artista divide seu tempo entre a TV, o cinema e a música – só em 2018, lançou 4 singles e cantou versão de “Don’t Give Up on Me” (de Andy Grammer), canção-tema do filme A Cinco Passos de Você (dirigido por Justin Baldoni). Sua nova aventura agora é fora das telas e dos estúdios de gravação. Ele se prepara para a chegada da filha, da união com a atriz Graziela Schimitt, que vem ao mundo neste mês de julho. Leia o bate-papo de Leal com a GQ Brasil:

Veja a versão de “Don’t Give Up on Me”, tema do filme A Cinco Passos de Você:

GQ Brasil: Há 10 anos você estreou em uma novela em Angola. O que recorda desta experiência?
Paulo Leal: Estava dando os primeiros passos em novelas. E foi lindo! Eram tantas pessoas boas… Tudo era novo, o ritmo das coisas, a dinâmica que a televisão gera em você. Fiz grandes parceiros que vejo até hoje. A minha maior recordação, minha maior “herança”, é o meu cachorro Juca (que leva o nome do personagem que eu interpretava), meu companheirão que me foi dado pela querida Cristina Prochaska.

GQ Brasil: Sua carreira musical e sua carreira como ator, roteirista e diretor vão andar juntas? 
Paulo Leal: Sim, irão. Na verdade, não tem como ser diferente. Sou apaixonado pelas duas artes. Sobre conciliar, é preciso ter disciplina. Acredito que qualquer pessoa que queira focar em duas ou mais coisas precisa de disciplina e discernimento dos momentos em que estão. À vezes, a música toma a frente; em outras, a atuação. E ainda tem a escrita e a direção na produtora em que trabalho. Sou tudo isso e tento observar cada momento. Aproveito, ao máximo, cada um deles. Só assim consigo ver um crescimento de forma sustentável de todos os projetos.

Acompanha tudo de GQ? Agora você pode ler as edições e matérias exclusivas no Globo Mais,o app com conteúdo para todos os momentos do seu dia. Baixe agora!

Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários