Pedro Carvalho fala sobre cena emotiva e exalta Glamour Garcia: “Nossa química em cena é a melhor possível” – GQ

13

Pedro Carvalho (Foto: Chico Cerchiaro)

Para os muitos fãs do casal “Abritney”, o episódio dessa quinta (22) de A Dona do Pedaço vai ter momentos de tensão. Na trama, a personagem Britney, vivida por Glamour Garcia, revelará sua transexualidade a Abel, vivido por Pedro. A revelação vem dar nuance dramática e (ainda mais) pano para a manga da dupla, que já caiu nas graças do público brasileiro.

Apesar de serem um alívio cômico na trama de Walcyr Carrasco, a gravação da cena emocionou quem estava no estúdio: “em meio a mais de sessenta pessoas, entre atores, produção e figurantes, poucos foram os que conseguiram segurar o choro enquanto aplaudiam o final da cena”, revelou Pedro com exclusividade à GQ Brasil.

Nada novo para o ator, que cresceu em frente às câmeras em Portugal: “já fiz umas 13 novelas, cinema, teatro, dublagens…”. O próprio enredo com uma personagem transexual não é novidade – em Ouro Verde, atualmente no ar pela Band, seu personagem Tomás também se envolve com uma personagem em pleno processo de transição de gênero.

É uma opção consciente para Pedro, que, já há alguns anos, soma papéis que considera “desafiadores”: um homem no espectro do autismo; um piloto gay; e até um psicopata estão em seu currículo. Com Abel, em A Dona…, porém, a recepção foi imediata – muito devido à química com Glamour. “somos um dos casais preferidos do público, então é gratificante saber que essa parceria está dando certo”. Na entrevista abaixo, ele fala sobre os personagens, a parceria fora das câmeras e dá até um spoiler dos próximos capítulo – não vale reclamar depois, nós avisamos.

Pedro Carvalho (Foto: Chico Cerchiaro)

GQ Brasil: Em A Dona do Pedaço, seu personagem vive um romance com uma mulher transgênero, a Britney, vivida por Glamour Garcia. Entretanto, essa não é a primeira vez que você vive um romance com uma mulher trans em frente às câmeras. É uma coincidência ou você realmente prefere papéis polêmicos assim?
Pedro Carvalho:
Quando comecei, como protagonista em Morangos com Açúcar, que é como uma Malhação daqui, fechei contrato com a TVI, emissora de maior audiência de Portugal, e fui emendando uma novela atrás da outra. Até que, nas últimas novelas que fiz em Portugal, comecei a pedir para me darem outro tipo de personagens e desafios que me fizessem sair completamente da minha zona de conforto. E realmente têm sido personagens muito polêmicos e que têm tido muita repercussão. No Brasil, A Dona do Pedaço é a minha terceira novela. Faço um personagem que se apaixona por uma mulher transexual. Então, meus últimos trabalhos têm sido bem fortes e marcantes, personagens que trazem verdadeiros desafios, que me fazem explorar muitas vertentes e contar histórias e realidades que eu penso que devem ser contadas. Para mim é um prazer imensurável poder ser camaleão nos papéis que interpreto. Ir do mocinho, ao vilão, do psicopata ao personagem cômico é maravilhoso porque me dá a oportunidade de explorar várias vertentes de atuação.

GQ Brasil: Como você acha que o tema da transexualidade foi tratado em Ouro Verde? E agora, com A Dona do Pedaço?
Pedro Carvalho:
Em Ouro Verde meu personagem é um dos vilões da trama, completamente racista, homofóbico, transfóbico, machista, esnobe, elitista, capaz das piores atrocidades, que acaba por se apaixonar por um rapaz que está ainda no processo de transformação, desde o início, até se assumir no corpo em que se sente confortável, de uma mulher trans. É muito denso o personagem e com uma carga dramática muito forte. a trama aborda temas como o suicídio, depressão, distúrbio de personalidade.

Pedro Carvalho (Foto: Chico Cerchiaro)

Em A Dona do Pedaço o personagem é totalmente o oposto: um cara ingênuo, bom coração, muito apaixonado e romântico, bronco, um playboy à moda antiga que vê o mundo no “preto e branco”, com pouca cultura, cômico, leve e que acaba por se apaixonar por uma mulher transexual que está perfeitamente assumida no corpo dela e todo o mundo sabe, menos ele. São papéis completamente diferentes e que abordam uma mesma realidade em momentos diferentes e de formas diferentes.

GQ Brasil: Quais você considera as diferenças no tratamento do tema entre Brasil e Portugal?
Pedro Carvalho:
Em Portugal, a transexualidade é um assunto discutido há tempos e o tema, hoje, é tratado com mais naturalidade. Infelizmente, aqui no Brasil, o tratamento ainda é diferente. Acho muito interessante como o Walcyr está tratando desse assunto e, principalmente, de forma cômica, pois acho essa uma boa forma da mensagem chegar ao público organicamente. O preconceito está na cabeça das pessoas, mas com informação isso pode ser mudado e fico extremamente grato de poder ajudar nesta batalha.

GQ Brasil: Como surgiu o convite para viver Abel? E como tem sido a recepção?
Pedro Carvalho:
Depois que terminei O Outro Lado do Paraíso voltei para Portugal para gravar uma série de época chamada Terra Nova. No meio das gravações recebi uma ligação da minha empresária do Brasil dizendo que o Walcyr e a Amora me queriam na próxima novela, num personagem cômico. Fiquei extremamente feliz, óbvio. E o público ama o Abel, torce e se diverte muito com o casal Abel e Britney. Até agora esse é o papel que tem causado mais impacto e mais carinho no público. Sinto isso na rua, nas redes sociais e até no set de gravações, como todos os diretores e equipe se divertem com as nossas cenas.

GQ Brasil: Como está sendo atuar com a Glamour Garcia? Vocês estudam juntos fora de cena?
Pedro Carvalho:
Estou super feliz em poder atuar com a Glamour. Ela é muito talentosa e eu admiro demais a sua batalha de vida. Nossa química em cena é a melhor possível e a gente se diverte fazendo os personagens. Soube através de uma pesquisa de audiência que nós dois somos um dos casais preferidos do público, então é gratificante saber que essa parceria está dando certo. Fora do ar, nós estudamos e conversamos muito sobre as cenas.

GQ Brasil: O episódio de hoje de A Dona do Pedaço tem um momento especial, que é a revelação da transexualidade de Britney para Abel. Como foi gravar essa cena?
Pedro Carvalho:
Foi muito emotiva. Como já foi noticiado e é verdade, a cena inicialmente iria para um lado de uma reação do Abel mais explosiva e agressiva até (que existe nos tempos reais), mas perceberam que o caminho mais interessante seria o de um sentimento de mágoa, surpresa e medo do desconhecido, porque os dois se amam. E a partir do capítulo de hoje se verá uma evolução dos personagens que acho importante ser falada. Afinal de contas, a vida está longe de ser um “conto de fadas”, mas o amor tem força e acredito que ele sempre vence. Acho que o público vai se emocionar bastante e torcer mais ainda para que o casal fique junto. Toda história de amor tem altos e baixos, mas se é de verdade, prevalece.

Pedro Carvalho (Foto: Chico Cerchiaro)

GQ Brasil: O que esperar para os próximos episódios?
Pedro Carvalho:
O Abel e a Britney se amam, mas estão magoados. Nesse início, o público pode esperar uma troca de farpas engraçada entre os dois, que vão fingir não se importar um com o outro. O Abel é um cara bronco, com uma mente fechada, mas, no fundo, existe amor pela Britney. O Walcyr é como uma ‘caixinha de surpresas’ e tudo pode acontecer, mas eu torço para que o casal fique junto!

GQ Brasil: Pessoalmente falando, como você reagiria se descobrisse que está apaixonado por uma pessoa trans?
Pedro Carvalho:
Para mim o que conta é o amor de verdade. Óbvio que cada um de nós tem a sua preferência sexual, mas o respeito pela escolha de vida do outro é uma responsabilidade que assiste a cada um. Não respeitar é um tremendo egoísmo e falta de humanidade, algo que eu jamais entenderei. O preconceito vem daí, do medo do desconhecido, da falta de cultura, mas acredito que o preconceito possa ser educado e transformado.

GQ Brasil: Esse é seu terceiro papel em uma novela brasileira. Como tem sido a recepção dos fãs?
Pedro Carvalho:
A recepção dos fãs tem sido incrível. Os brasileiros são calorosos, me param na rua, interagem e pedem selfies. Adoro o Brasil! Na internet também sinto esse carinho. A maioria dos fãs diz que está adorando o personagem e que torce para que o casal termine junto.

GQ Brasil: Por aqui você já tornou-se um símbolo sexual. Como está sendo a experiência?
Pedro Carvalho:
Não penso muito nisso, gosto da receptividade do público. Se isso for sinônimo de que estou fazendo um bom trabalho, acho super válido. Nunca tive problema com esse rótulo de galã. No final das contas, acredito muito na arte e no trabalho de atuação. Na minha opinião, é todo um conjunto que faz o símbolo sexual.

GQ Brasil: Você acha que a associação a papéis como o de Abel e de Tomás têm algum impacto no assédio dos fãs? Uma abertura maior com outros públicos, digamos?
Pedro Carvalho:
Acho, principalmente, que é importante abordar temas que são reais, que existem e que retratam a realidade de muitas pessoas, mais do que imaginamos. Fico muito feliz e grato por poder ser um dos veículos que conta uma história que toca em uma ferida da sociedade, sociedade esta que ainda está vestida de preconceito e tabus.

GQ Brasil: Qual a mensagem você gostaria de deixar com seus papéis, no tocante à diversidade?
Pedro Carvalho:
As diferenças do outro são qualidades. Somos todos iguais, vivemos todos debaixo do mesmo céu, respiramos o mesmo ar, as leis são comuns a todos os seres humanos, sem distinção. Cada um tem o direito de ser feliz como lhe convém. O que importa é cultivar e multiplicar o amor e não o ódio.

Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários